Governo confirma que está a estudar juntar aeroporto civil à base de Monte Real

O ministério das Infraestruturas admite que está a estudar a possibilidade de instalar um aeroporto civil à base militar de Monte Real, em Leiria.

O ministério das Infraestruturas e Habitação, liderado por Pedro Nuno Santos, confirmou que está a estudar a possibilidade de instalar um aeroporto civil à base militar de Monte Real, em Leiria. Na semana passada, a Comunidade Intermunicipal (CIM) Região de Coimbra emitiu uma nota, citada pela Lusa, em que dizia que tinha estado reunida com elementos do ministério das Infraestruturas para discutir a temática do "aeroporto na região Centro" e reiterar "a necessidade" de uma infraestrutura deste tipo na região.

Na altura, entre os autarcas e o Executivo ficou estabelecido que iriam ser avaliadas e estudadas as soluções com vista a encontrar uma solução viável para a implementação de um aeroporto" no Centro do país. "Os autarcas reiteram a necessidade de se encontrar uma solução exequível", de modo a ser "incorporada no Plano Nacional de Investimentos 2030", concluía a CIM.

Na reunião do passado dia 15 foi discutida a localização e "construção de raiz" de um aeroporto na região Centro. A transformação da base aérea de Monte Real para acolher a aviação civil não era exequível, tal como não o era a transformação do aeródromo Bissaya Barreto, em Coimbra.

Contudo, esta quinta-feira, 23 de janeiro, o Jornal de Leiria avançava que o autarca de Leiria - Gonçalo Lopes - tinha estado em contacto com Pedro Nuno Santos e que este o tinha tranquilizado quanto à instalação eventual de um aeroporto na região. O presidente Câmara de Leiria, na última reunião camarária, de acordo com a mesma fonte, revelou o conteúdo da mensagem que lhe foi enviada pelo ministro: "Não te preocupes. Só o [aeroporto] de Monte Real tem pernas para andar".

Centro há muito que pede aeroporto

Pedro Machado, líder do Turismo do Centro, dizia há um ano que "abrir a base aérea de Monte Real a voos comerciais, possibilidade há muito defendida pelo Turismo Centro de Portugal e por destacados dirigentes políticos e empresariais do país, tem vantagens óbvias para a economia regional e é importante para a coesão territorial".

A adaptação de Monte Real a voos comerciais "será rápida e relativamente barata", garante Pedro Machado, que cita um estudo da firma alemã de consultoria estratégica Roland Berger, que aponta para um investimento de 25 milhões de euros em seis meses. O presidente da Entidade Regional Turismo Centro, que agrupa cem municípios, garante que Monte Real reúne uma série de características que a tornam "a escolha óbvia" para receber voos comerciais, a começar pela proximidade do Santuário de Fátima, que só em 2017 atraiu sete milhões de visitantes, bem mais do que o número mínimo de 1,2 milhões de passageiros que tornam sustentável uma operação aeroportuária, segundo o Instituto Nacional de Aviação Civil.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias