Espirituosas pedem congelamento do imposto sobre o álcool

Medida visa limitar falta de competitividade face a Espanha. Pode aumentar em 12,7 milhões a receita do IABA, diz estudo da EY

A Associação Nacional de Empresas de Bebidas Espirituosas (ANEBE) quer que o Governo congele o imposto aplicável ao setor em 2019 e promete que isso não resultará numa quebra de receitas, mas sim num crescimento de 3,6%. Ou seja, mais 12,7 milhões de euros para os cofres do Estado só em 2019. Em causa está o facto de o imposto sobre o álcool e as bebidas alcoólicas (IABA) aplicável às espirituosas, como o licor, a aguardente e o gin, ser 30% mais baixo em Espanha e o objetivo é "reduzindo o incentivo à aquisição destes produtos" no país vizinho.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias