Elétricos Transtejo. Contrato já foi assinado e o primeiro de dez navios chega em abril de 2022

É considerada a maior operação fluvial de barcos elétricos do mundo e vai avançar, finalmente, depois de ter sido impugnado o contrato. O tribunal levantou o efeito suspensivo e o acordo acaba de ser assinado, sabe o DN

Transtejo avança, finalmente, com o contrato de dez navios elétricos com a empresa Gondán. O DN sabe que o tribunal reconheceu o interesse público da adjudicação de navios elétricos pela Transtejo, levantado o efeito suspensivo da impugnação judicial apresentada pelos Estaleiros Navais de Peniche, em meados de dezembro do ano passado.

Segundo o DN apurou, foi já assinado o contrato de fornecimento dos dez navios com o estaleiro asturiano Gondán, S.A., decorrente do concurso público internacional que tinha sido lançado em fevereiro último.

Trata-se do maior concurso público internacional, até hoje, com um valor global de 52,4 milhões de euros. Este investimento insere-se na estratégia nacional para a descarbonização. Passa pela aposta numa frota de navios sustentável, dotada de um sistema de propulsão 100% elétrico, com consumos energéticos inferiores aos dos navios atuais e sem emissões de gases de efeito estufa. Só em 2019, o consumo de gasóleo com os barcos tradicionais usados pela empresa superou os 5,2 milhões de litros, correspondentes à emissão de 13 122 toneladas de dióxido de carbono.

Os dez navios de propulsão elétrica serão feitos à medida da operação da Transtejo. A solução 100% elétrica é do tipo de propulsão internacionalmente mais recomendada para este tipo de navios, com as características dos da frota Transtejo Softlusa. Além da alteração de paradigma nas emissões, permite consumos energéticos inferiores aos dos navios atuais.

Que tipo de propulsão será usada? Será utilizado o tipo battery system, baseado em acumuladores e motores elétricos, com capacidade suficiente de carga para permitir uma operação diária com carregamentos nos terminais.

Apesar do atraso provocado pela ação judicial, o DN apurou que a Transtejo estima receber o navio Leader até 30 de abril de 2022, mais três navios até final de 2022, quatro ao longo de 2023 e os restantes dois até ao final do primeiro trimestre de 2024. O processo carece ainda do visto do Tribunal de Contas, para onde estará a ser encaminhado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG