É "urgente" solução para problema do crédito malparado

Elisa Ferreira, designada para o Conselho de Administração do Banco de Portugal, numa conferência sobre a banca

A eurodeputada socialista Elisa Ferreira, indicada para futura administradora do Banco de Portugal, defendeu hoje que é "urgente" haver uma solução para o excessivo nível de crédito malparado que os bancos têm nos seus balanços.

"É urgente encontrar uma solução credível para o problema dos NPL [sigla inglesa de 'non-performing loans', crédito malparado]", disse hoje Elisa Ferreira, na conferência 'O presente e futuro do setor bancário', que decorre em Lisboa, organizada em conjunto pela Associação Portuguesa de Bancos (APB) e pela TVI24.

No mesmo evento, também o governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, defendeu que é preciso um mecanismo para 'limpar' o balanço dos bancos dos ativos problemáticos, nomeadamente crédito malparado e imóveis, transferindo-os para um veículo a ser criado.

Para isso, o responsável pelo regulador e supervisor bancário pediu para que a nível europeu seja dada uma exceção a Portugal para que seja possível "intervir neste campo sem encostar os bancos a um mecanismo perigoso que é a diretiva de resolução".

A eurodeputada Elisa Ferreira é ouvida hoje no parlamento na Comissão de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, pelas 14:00, no âmbito da proposta de designação para o Conselho de Administração do Banco de Portugal.

Já às 17:00 é ouvido na mesma comissão Luís Máximo dos Santos, que também foi proposto para administrador do regulador e supervisor bancário.

Na intervenção de hoje na conferência sobre a banca, a ainda deputada ao Parlamento Europeu defendeu que deve haver a nível europeu a "inteligência" de afinar as regras que se aplicam ao sistema bancário, sobretudo as novas regras de resolução de bancos, para que não haja efeitos nefastos da aplicação dessa regulamentação e não sejam subvertidos os objetivos de criação dessa legislação.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG