Desempregados nos centros de emprego aumentam 0,6% de novembro para dezembro

Este aumento do número de desempregados inscritos nos centros de emprego interrompe um ciclo de oito meses consecutivos de descida, segundo dados divulgados pelo IEFP.

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego aumentou 0,6% em dezembro, face a novembro, interrompendo um ciclo de oito meses consecutivos de descidas, e diminuiu 13,5% em termos homólogos, informou esta quinta-feira o IEFP.

Segundo dados divulgados pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), no fim de dezembro estavam registados nos Serviços de Emprego do Continente e Regiões Autónomas 347.959 desempregados, mais 06% do que em novembro (+2.075 pessoas) e menos 13,5% que em dezembro de 2020 (-54.295 pessoas).

De acordo com o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, "é habitual existir um aumento do desemprego registado entre novembro e dezembro -- desde 2008, isso ocorreu em 10 anos num total de 14".

Em novembro, o número de desempregados inscritos nos centros de emprego tinha registando a oitava descida mensal consecutiva, o que, segundo o IEFP, não acontecia desde 2003.

Segundo os dados hoje divulgados, o número de desempregados inscritos em dezembro representa 66,2% de um total de 525 872 pedidos de emprego.

O desemprego jovem regista uma diminuição de 5,1% em dezembro face ao mês anterior

Segundo o instituto, para a diminuição do desemprego registado, face ao mês homólogo de 2020, na variação absoluta, "contribuíram, com destaque, os grupos dos indivíduos que estão inscritos há menos de um ano (-75.376), os indivíduos que procuram novo emprego (-52.366) e os com idade igual ou superior a 25 anos (-42.064)".

O desemprego jovem (pessoas com menos de 25 anos) regista uma diminuição de 5,1% em dezembro face a novembro (-1.952 pessoas) para 36.157 jovens, e de -25,3% (12,2 mil pessoas) face ao período homólogo.

Quanto aos desempregados de longa duração, somaram 171.074, uma diminuição de 0,5% entre novembro e dezembro (-844 pessoas).

A nível regional, no mês de dezembro de 2021, o desemprego registado no país, em termos homólogos, diminuiu em todas as regiões, com destaque para as regiões do Algarve (-21,5%) e da região autónoma da Madeira (-28,0%).

Em relação ao mês anterior, à exceção das regiões Alentejo (+3,2%), Algarve (+10,4% e Açores (+0,9%), as restantes regiões apresentam decréscimos no desemprego.

Em termos setoriais, o desemprego desceu em termos homólogos na generalidade dos setores de atividade, agrícolas e industriais e serviços.

Considerando os grupos profissionais dos desempregados registados no Continente, salientam-se como os mais representativos, por ordem decrescente: 'Trabalhadores não qualificados' (25,5%); 'Trabalhadores dos serviços pessoais, de proteção segurança e vendedores' (21,2%); 'Pessoal administrativo' (11,6%) e 'Especialistas das atividades intelectuais e científicas' (10,7%).

No que respeita à atividade económica de origem do desemprego, dos 297.229 desempregados que, no final do mês em análise, estavam inscritos como candidatos a novo emprego nos Serviços de Emprego do Continente, 73,1% tinham trabalhado em atividades do setor dos 'Serviços', com destaque para as 'Atividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio' (que representam 30,5% do total).

Já 19,5% eram provenientes do setor 'Secundário', com particular relevo para a 'Construção' (6,2%), enquanto ao setor 'Agrícola' pertenciam 4,6% dos desempregados.

No final de dezembro, as ofertas de emprego por satisfazer totalizavam 15 941 em todo o país

O IEFP observa ainda que o desemprego diminuiu, face ao mês homólogo de 2020, em todos os grandes setores: no 'Agrícola' (-10,8%), no 'Secundário' (-16,8%) e no 'Terciário' (-12,8%).

"A desagregação por atividade económica permite observar que todas registaram descidas, em termos homólogos, sendo as variações mais significativas registadas, por ordem decrescente, em: 'Indústria do couro e dos produtos do couro' (-30,0%); 'Alojamento, restauração e similares' (-25,0%); 'Indústria do vestuário' (-20,7%)"; 'Fabrico do equipamento informático, elétrico, máquinas e equipamentos' (-19,2%) e 'Indústrias alimentares das bebidas e do tabaco' (-18,9%).

No final de dezembro, as ofertas de emprego por satisfazer totalizavam 15.941 nos Serviços de Emprego de todo o país, o que corresponde a um aumento anual (+5.079; +46,8%) e a um decréscimo face ao mês anterior (-5.885; -27,0%) das ofertas em ficheiro.

Ao longo do mês de dezembro de 2021, inscreveram-se nos Serviços de Emprego de todo o país 39 474 desempregados, um número inferior ao observado no mesmo mês de 2020 (-6.257; -13,7%) e em relação ao mês anterior (-7.668; -16,3%).

As ofertas de emprego recebidas ao longo deste mês totalizaram 9.070 em todo o país, número superior ao do mês homólogo de 2020 (+1.299; +16,7%) e inferior ao mês anterior (-2.501; -21,6%).

As colocações realizadas durante o mês de dezembro totalizaram 6.270 em todo o país. Segundo o IEFP, este número é superior ao verificado em igual período de 2020 (+1.638; +35,4%) e inferior ao mês anterior (-1.346; -17,7%).

Notícia atualizada às 12:24

Mais Notícias

Outras Notícias GMG