Exclusivo Crise destruiu mais emprego entre trabalhadores estrangeiros

Em média são mais jovens, mais qualificados, mas têm contratos mais precários e salários mais baixos do que a população nacional.

No ano passado pouco mais de 148 mil pessoas com nacionalidade estrangeira estavam a trabalhar em Portugal, representando uma queda de quase 5% face a 2019. Trata-se da primeira vez que a população estrangeira cai nos últimos quatro anos e o maior decréscimo desde 2015, quando se verificou uma redução de 2,7%.

Os cálculos do Dinheiro Vivo com base nos dados do inquérito ao emprego fornecidos pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), mostram que a crise foi transversal a toda a população, mas no caso dos estrangeiros a destruição do emprego foi mais vincada, em termos relativos. Entre 2019 e 2020, registou-se um decréscimo de 4,8% neste segmento da população, mais do dobro dos trabalhadores com nacionalidade portuguesa, com uma queda de 1,9%.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG