"Crédito bancário está mais barato mas mais difícil de obter"

O presidente da Associação Portuguesa de Bancos admite que as exigências dos bancos subiram para emprestar dinheiro

O presidente da Associação Portuguesa de Bancos (APB), Fernando Faria de Oliveira, realçou hoje que os custos do financiamento junto da banca estão hoje abaixo dos níveis anteriores à crise, mas que as exigências dos bancos subiram.

"Passámos de um período, antes da crise, de dinheiro fácil e barato, para um período de dinheiro ainda mais barato, mas mais difícil de obter", afirmou o responsável durante a cerimónia de assinatura de uma nova linha de financiamento para a qualificação da oferta turística, no valor de 60 milhões de euros.

Este instrumento resulta de um protocolo estabelecido entre o Turismo de Portugal e 12 bancos, que vão financiar as operações com 60% e 40%, respetivamente, com o objetivo de dinamizar o investimento no turismo e qualificar a oferta turística, tendo sido apresentado no arranque da BTL - Feira Internacional de Turismo, em Lisboa.

A cerimónia contou, entre outros, com a presença do ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral.

Faria de Oliveira destacou que a banca é hoje responsável por mais de 70% do financiamento à economia, garantindo que "os bancos estão solventes e confortáveis em termos de liquidez".

O líder da APB sublinhou que "os bancos querem mais negócio", mas vivem um novo paradigma, marcado pela maior carga fiscal, pelos custos significativos relacionados com a regulação e a supervisão, e pelas pesadas imposições regulatórias.

Atualmente, a concessão de crédito exige "grande rigor na avaliação do negócio e de gestão de risco", assinalou Faria de Oliveira, vincando que "a pressão vai em crescendo contra a conta de rentabilidade dos bancos".

Segundo Faria de Oliveira, "a concessão de crédito não depende apenas da solvência e da liquidez dos bancos, mas também da capacidade dos clientes para passarem na análise do risco", até porque atualmente o crédito bancário oferece "taxas de juro, 'spreads' e condições muito favoráveis".

As instituições de crédito aderentes a esta linha dedicada ao setor do turismo são o Millennium BCP, o Novo Banco, o Santander Totta, o Banco BPI, a Caixa Geral de Depósitos, o Banco Popular, o Montepio Geral, o Barclays Bank, a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo, a Abanca, o BPG e o Banco BIC.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG