IRS. Fisco reembolsou menos em dois meses do que no primeiro mês de 2019

Em perto de dois meses, contribuintes receberam pouco mais de dois terços dos 1260 milhões de euros pagos no primeiro mês de campanha de há um ano.

Com dois meses de campanha de liquidação de IRS, os reembolsos pagos pelo fisco continuam a ficar muito atrás dos valores do ano passado. Os valores entregues pelo fisco aos contribuintes vão em 869 milhões de euros, segundo dados divulgados esta quarta-feira pelo Ministério das Finanças, e comparam com 1260 milhões de euros devolvidos no ano passado ao primeiro mês da campanha de IRS. Vão pouco além de dois terços desse valor.

A demora no reembolso de imposto permitiu que até abril, mês de estado de emergência, a Autoridade Tributária visse crescer a receita líquida de imposto a um máximo de sete anos, praticamente mais 18%, de acordo com dados da síntese de execução orçamental de abril divulgados ontem.

Segundo os dados avançados esta quarta-feira pelo Ministério das Finanças, na campanha de liquidação de IRS deste ano houve até aqui 2,2 milhões de declarações de IRS liquidadas, com 1,3 milhões delas a garantirem reembolso de imposto pago aos contribuintes. Até à data, o fisco recebeu perto de quatro milhões de declarações, 36% correspondentes a IRS automático.

"Deste total, já foram liquidadas 2.254.739 declarações, das quais 1.349.341 deram lugar a reembolso e 228.650 a notas de cobrança (as restantes 676.748 têm um saldo nulo)", informa a nota do governo.

Dos 1,3 milhões de declarações com direito a reembolso, foram processados pagamentos para 1.051.606, informa também, dando origem à devolução de 869 milhões de euros.

O fisco, que compara os dados deste ano com os do ano passado apenas a partir do momento em que começaram a ser processados os reembolsos, a partir de 21 de abril em 2020, defende que "se observa um ritmo de execução dos reembolsos similar ao de outros anos".

Refere ainda que os reembolsos tenderão a ser de menor valor. "Note-se que na sequência do ajustamento das tabelas de retenção em 2019, os reembolsos este ano serão inferiores em caso de rendimentos equivalentes".

A campanha de entrega das declarações de IRS prossegue até ao final de junho, com o prazo legal para entrega dos reembolsos em 30 de agosto.

Maria Caetano é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outras Notícias GMG