Premium Com SMN de 750 euros já, Portugal continuava abaixo da média da UE e Espanha

Em 2019, a remuneração mínima portuguesa é a 8ª mais fraca em poder de compra. Os trabalhadores portugueses que ganham o mínimo são, na prática, mais pobres que os gregos, romenos e lituanos, por exemplo.

Se a subida do salário mínimo nacional (SMN) que o governo promete (até 750 euros brutos mensais em 2023) fosse concretizada integralmente agora, Portugal subiria apenas dois lugares no ranking da União Europeia (UE), ultrapassando os valores que vigoram em Malta e Grécia. No entanto, continuaria abaixo da média europeia e de Espanha, indicam cálculos do Dinheiro Vivo com base em dados do Eurostat.

O salário mínimo português definido pelo governo em concertação com os patrões e a UGT está atualmente (desde 1 de janeiro de 2019) nos 600 euros. Como os trabalhadores por conta de outrem auferem ainda dois subsídios num ano de trabalho (férias e Natal), significa que num ano estes empregados ganham (em termos brutos pois terá ainda de descontar 11% para a Segurança Social) ganham 8400 euros. Dividindo por 12 meses, dá 700 euros.

Ler mais

Mais Notícias