Centeno avalia recurso à absolvição de auditora do BES

O Tribunal da Concorrência absolveu a auditora KPMG e cinco dos seus sócios das contraordenações aplicadas pelo Banco de Portugal, no âmbito da queda do BES.

O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, disse esta terça-feira que o supervisor "está a avaliar" recorrer da decisão do Tribunal da Concorrência de absolver a auditora do BES, a KPMG, das contraordenações que lhe tinham sido aplicadas.

"O Banco de Portugal está a avaliar as condições para fazer recurso dessa decisão", afirmou Centeno na Comissão de Orçamento e Finanças, na sua primeira audição como governador.

No dia 15 de dezembro, a KPMG e cinco dos seus sócios foram absolvidos e as multas que lhe tinham sido aplicadas em junho de 2019 pelo Banco de Portugal foram anuladas.

O supervisor tinha aplicado uma coima de três milhões de euros à auditora do BES. O responsável máximo da KPMG em Portugal, Sikander Sattar, foi condenado a pagar uma coima de 450 mil euros. Também outros sócios foram condenados ao pagamento de coimas entre os 225 mil euros e os 425 mil euros: Inês Viegas, Fernando Antunes, Inês Filipe e Silvia Gomes.

O BES foi alvo de resolução no início de agosto de 2014 deixando um rasto de perdas e de lesados.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG