Carros elétricos. Lidl alarga rede de postos de carregamento

Investimento total será de cerca de 3 milhões de euros. Nesta semana 56 lojas já terão postos para carros elétricos.

Até ao fim desta semana, a rede de lojas do Lidl terá já em funcionamento 56 postos de carregamento para carros elétricos. O objetivo era chegar às 40 lojas até fevereiro de 2021, mas o compromisso foi agora alargado para as 56 lojas e até fevereiro do próximo ano serão cem "em localidades estrategicamente localizadas de forma a estar presente em todas as capitais de distrito do país", adiantou Milton Rego, administrador do Lidl Portugal, ao DN/Dinheiro Vivo. O investimento total para esta primeira fase é de 1,5 milhões de euros; no final do projeto serão 3 milhões de euros investidos com financiamento apenas com capitais próprios.

Milton Rego adianta ainda que o objetivo é "permitir ainda mais a democratização do acesso à energia verde e garantir a autonomia de norte a sul do país, bem como a ligação a Espanha, exclusivamente com energia elétrica 100% verde proveniente de fontes renováveis. A segunda fase permitirá colmatar lacunas no acesso aos postos de carregamento, privilegiando a instalação de equipamentos em todas as capitais de distrito e vias rodoviárias. Os novos postos irão garantir a autonomia de norte a sul do país, bem como a ligação a Espanha, já que estão localizados a uma distância máxima de 150 quilómetros entre si."

Os carregadores utilizados "são multi standard e de carregamento rápido, possibilitando uma recarga de 80% da bateria em apenas 30 minutos. Ou seja, permitem o abastecimento durante uma ida regular às compras. Procuramos desta forma aliar as nossas preocupações ambientais à conveniência oferecida a quem nos procura, melhorando ainda mais a experiência de compra ao aliar a sustentabilidade à poupança de tempo".

O responsável da cadeia refere que um estudo da Federação Europeia de Transporte e Ambiente mostra que Portugal está entre os países europeus onde se vendem mais elétricos no total de carros vendidos, estando em quinto lugar. Portugal comprometeu-se internacionalmente com o objetivo de chegar à neutralidade carbónica em 2050 e, em linha com a UE, foram estabelecidas metas e objetivos para o horizonte 2030. Para isso, há incentivos à introdução no consumo de veículos de baixas emissões, com uma dotação global de quatro milhões de euros.

A rede começou a ser instalada em Lisboa, no âmbito da Lisboa Capital Verde 2020, mas segue na segunda fase para as lojas do Alentejo e do Algarve, e depois o norte e o centro. A sustentabilidade "faz parte do nosso ADN e continuará a ser uma das nossas prioridades, pelo que a aposta na mobilidade elétrica está em linha com a nossa estratégia e o nosso compromisso para com o ambiente", refere ainda o responsável, admitindo que a aposta nesta rede de postos para elétricos poderá não terminar em 2022.

Para já, os abastecimentos nos postos já existentes do Lidl permitiram, desde 2017 até momento, evitar 1327 toneladas de CO2, "o que equivale a absorção de dióxido de carbono de mais de 60 mil árvores durante um ano, segundo o European Environment Agency." Para apoiar o recurso a estes postos, a cadeia assume desde maio "a diferença da nova tarifa cobrada pela Entidade Gestora da Rede de Mobilidade Elétrica (EGME), mantendo o preço final da sua componente de operação em 0,08 euros por minuto, permanecendo assim um custo inferior face ao preço de mercado e, sem qualquer taxa de ativação".

Com Filipe Morais

Mais Notícias

Outras Notícias GMG