Berardo: “Tentei ajudar os bancos. Mas não ia arriscar a minha vida”

O empresário reitera que foram os bancos a ir ter com ele para lhe oferecerem crédito para a compra de ações. E que a CGD não lhe pediu aval pessoal.

José Berardo garante que tentou “ajudar os bancos” e que foram as instituições financeiras que o procuraram numa fase de excesso de liquidez para lhe dar crédito. “Tentei ajudar os bancos. Como português tentei ajudar a situação do banco”, disse esta sexta-feira numa audição na II Comissão Parlamentar de Inquérito à gestão da CGD.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG