Autoeuropa exporta carros para Espanha por comboio

Parceria ibérica permite à fábrica do grupo Volkswagen apostar na ferrovia para enviar e receber veículos.

A Autoeuropa começa a enviar nesta sexta-feira os primeiros carros para Espanha pela linha do comboio. O novo serviço resulta de uma parceria ibérica com outras três empresas e contribui para diminuir as emissões.

O comboio de mercadorias vai partir pelas seis horas e 28 minutos da fábrica de Palmela e demorará cerca de 24 horas a chegar ao destino, a fábrica da Seat de Martorell, em Barcelona.

Depois de sair da estação de Penalva, o comboio vai seguir para Espanha através da linha da Beira Baixa, que foi reaberta à circulação na totalidade em maio.

A composição vai transportar 184 automóveis da Volkswagen, divididos por 16 vagões de dois pisos. Ontem, a Seat enviou 184 automóveis para Palmela.

Na fase inicial, o transporte de carros entre Portugal e Espanha será feito uma vez por semana.

O transporte de carros pelo comboio permite reduzir as emissões em 80% na comparação com o uso do camião.

Entre Palmela e a fronteira com Espanha, contudo, os vagões serão rebocados por uma locomotiva diesel da Takargo porque a empresa ferroviária do grupo Mota-Engil não conta com material elétrico na sua frota.

Em Portugal, os vagões serão fornecidos pelo grupo Barraqueiro, através da empresa Rodo Cargo. O grupo português alega que cada comboio retira 23 camiões da estrada, segundo declarações ao jornal Público.

Em Espanha, a operação será liderada pela Pecovasa Renfe Mercancías, unidade especializada da transportadora Renfe para automóveis.

Também no país vizinho, o comboio será feito com material diesel, pois não há linha eletrificada entre a fronteira e Salamanca.

Quer Barraqueiro quer Pecovasa têm participação acionista minoritária do grupo alemão ferroviário Deutsche Bahn.

Aposta na ferrovia

Há dois anos que a Autoeuropa tem apostado no transporte de carros pela ferrovia.

Em setembro de 2019, iniciaram-se os comboios entre a fábrica de Palmela e o Porto de Setúbal, com capacidade para transportar 250 carros por dia, o equivalente a 32 viagens de camião.

No ano seguinte, passaram a ser feitas duas viagens por dia entre a linha de montagem e o Porto de Setúbal, passando a transportar 500 carros por dia.

Já neste ano, a deslocação de carros pela ferrovia passou a contar com vagões de dois andares, podendo comportar um total de 265 unidades.

De segunda a sábado, a Autoeuropa desloca um total de 650 carros por dia para o terminal de exportação de carros do Porto de Setúbal.

Nas deslocações do distrito do Sado, os vagões também pertencem à Rodo Cargo.

Nos primeiros nove meses deste ano, a Autoeuropa fabricou 145 899 unidades, mais 9,2% em comparação com o ano passado mas ainda abaixo dos números no período homólogo de 2019, ano pré-pandemia.

Diogo Ferreira Nunes é jornalista do Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outras Notícias GMG