Artur Trindade: "Era indesejável enviar o acordo com a EDP para o regulador"

Artur Trindade diz que o regulador não teve acesso ao acordo "porque não o pediu". "Não conheceu, não teve acesso e não tinha nada de ter".

Privatização da EDP e da REN, fim das goldenshare do Estado nessas empresas, fim das tarifas reguladas, redução dos preços energéticos para empresas e famílias, eliminar dívida tarifária até 2020. Estas foram as principais exigências da troika no memorando de entendimento com que Artur Trindade se confrontou quando chegou à secretaria de Estado da Energia, depois da demissão do antecessor Henrique Gomes, que saiu em rutura com o então ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias