Angola revê contratos públicos. Como ficam as empresas portuguesas?

O setor da construção civil é o mais representativo no mercado angolano, mas a medida poderá afetar empresas de vários setores

Cem dias depois de ter tomado posse como Presidente de Angola, João Lourenço deixou o aviso: serão revistos todos os contratos de grandes dimensões assinados pelo antigo Executivo e desvantajosos para o Estado. Apesar de ainda ser cedo para avaliar o real impacto desta medida para as empresas portuguesas presentes em Angola, muitas delas com contratos públicos assinados, a "revisão dos contratos poderá, em última instância, afetar empresas de vários setores", garantiu ao Dinheiro Vivo João Traça, presidente da Câmara de Comércio e Indústria Portugal-Angola (CCIPA).

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG