Acesso à praia sem carros será "o maior desafio" da Comporta

O maior projeto imobiliário do país deverá começar a ganhar forma já este ano, com o arranque da construção do primeiro de cinco hotéis. E o maio desafio será o acesso às praias

No telefone dobrável, José Cardoso Botelho exibe as últimas fotografias que tirou na terra que agora divide com Paula Amorim. Aos investidores estrangeiros, a Comporta está a ser vendida como um oásis azul e verde, salpicado com areia branca, e é assim que o diretor-geral da Vanguard Properties quer que se mantenha.

O "maior desafio" daquele que é o projeto imobiliário mais ambicioso da década será, nas palavras do dono, o acesso às praias de milhares de pessoas, que terá de ser feito sem carros. A nova Comporta, que o consórcio Vanguard/ Amorim comprou por 157 milhões de euros, terá "uma grande preocupação com a paisagem e a menor intervenção possível no meio ambiente".

A questão do acesso às praias "está agora a entrar numa fase nova de avaliação". Envolve os municípios e as entidades como a Associação Portuguesa do Ambiente (APA), mas os proprietários querem que mais organizações "fortes se associem à resolução de um problema que é de todos, tanto de quem visita como dos investidores", aponta José Cardoso Botelho em entrevista ao DN/Dinheiro Vivo. O líder da Vanguard explica que a solução passará por criar zonas de estacionamento longe das praias, e transportar os visitantes até ao areal em veículos elétricos.

"Já hoje há muita gente que não vai à Comporta pela dificuldade em estacionar. Com a nossa capacidade de investimento, vamos criar infraestruturas para que a Comporta se possa desenvolver bem, com muita qualidade. A Comporta é cada vez mais falada lá fora", assegura o responsável, que juntamente com a Amorim Luxury vai investir 1,5 mil milhões de euros nos terrenos outrora detidos pelo Grupo Espírito Santo.

O plano dos novos donos para as rebatizadas Terras da Comporta está traçado. Vão nascer cinco hotéis na área conhecida como Comporta Links, que vai mudar de nome para uma designação em português. Estão ainda previstos três aparthotéis, 11 aldeamentos turísticos e residenciais com cerca de mil casas e dois campos de golfe, um dos quais terá condições para ser "o melhor da Europa continental".

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias