2020 é "última janela" para adaptação à mudança no crédito

No grupo do euro, muitos falharam em reduzir a dívida após a crise, diz a Moody's. Os riscos vão acumular-se nos próximos dois anos.

A última janela de oportunidade para que os países e as empresas se adaptem às novas condições de financiamento após uma década de estímulos está à distância de dois anos. A Moody’s avisa que o crescimento vai abrandar em 2019, e ainda mais no ano a seguir. E, neste cenário, os juros vão subir e haverá menos liquidez, com a dívida em máximos, com as condições em que são firmados os contratos de crédito a terem termos mais flexíveis, e com alguma desregulação financeira em marcha.

Leia mais em Dinheiro Vivo a sua marca de economia

Mais Notícias

Outras Notícias GMG