Huawei reforça aposta no mercado empresarial português 

Em plena transição digital acelerada pela pandemia, a multinacional procura reforçar a oferta de soluções colaborativas e de armazenamento de dados, que considera ter "enorme potencial".

A intensificação da revolução digital no seio das empresas registada nos últimos 18 meses, à boleia da necessidade de adaptação ao contexto pandémico, significou vantagens para os negócios, mas também novos desafios. Ciente desta realidade, a Huawei promoveu o seu IT Day, no final de setembro, evento em que procurou avançar com soluções especialmente desenhadas para o mercado empresarial. "Queremos ser um parceiro sólido e de confiança das empresas e entidades do setor público nos seus processos de transformação digital", explica Diogo Madeira da Silva, responsável de comunicação da multinacional em Portugal.

Durante o momento anual de apresentação de novos produtos e das últimas tendências tecnológicas, foram partilhadas as potencialidades do serviço de armazenamento e backup de dados do OceanProtect. Numa época em que o valor dos dados é, muitas vezes, incalculável, lidar com o crescente volume de informação diversificada não é tarefa fácil. Garantir a sua proteção é ainda mais desafiante, considerando que, segundo o relatório anual do Centro Nacional de Cibersegurança, os ataques informáticos aumentaram 79% em Portugal ao longo de 2020.

A solução da tecnológica chinesa passa, por isso, por dois caminhos - um centro de backup centralizado ou backup all-in-one. De acordo com a Huawei, através desta oferta é possível assegurar cobertura inteligente em todos os cenários, sem perda de dados e sem interrupção do serviço. Esta é apenas uma das vertentes de negócio do Enterprise Business Group da empresa, uma área que Michael Chen diz ser prioritária e que poderá ser aliada de organizações, públicas e privadas, na aplicação dos fundos do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), que aposta forte na transição digital. "Estamos apostados em ser um apoio de confiança para os clientes em Portugal, especialmente num contexto em que as organizações procuram o máximo proveito das oportunidades decorrentes, por exemplo, do PRR", explica o responsável.

Esta revolução digital trava-se, contudo, em várias frentes. A necessidade de colaboração nas empresas, interna e externa, implica novas formas de comunicar, progressivamente mais rápidas, eficazes e flexíveis. O IdeaHub foi, por isso, uma das estrelas no IT Day - trata-se de um novo equipamento que acumula várias funções, podendo ser usado como projetor, quadro interativo, computador e como ecrã para a realização de conferências. O design a que a marca habituou os clientes na vertente de tecnologia de consumo foi trazido para o setor empresarial, com um produto que permite, através dos seus 12 microfones integrados, participar em reuniões virtuais em 4K e com captação de som num raio de oito metros.

São, diz a tecnológica, produtos e soluções que permitem manter as empresas focadas numa das mais importantes missões que têm a seu cargo - inovar e crescer. Conhecida pelos telemóveis, computadores e tablets para o mercado de consumo, a Huawei aposta, há mais de uma década, na expansão do seu Enterprise Business Group em Portugal, que Michael Chen acredita ter um "enorme potencial de crescimento". A nível internacional, este segmento de negócio conta com mais de 30 mil parceiros e cobre cerca de metade das empresas que integram o Fortune Global 500. "Está na altura de atrair mais visibilidade a uma das áreas que, acreditamos, mais potencial de crescimento tem no nosso país", afirma Diogo Madeira da Silva.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG