Wimbledon: Djokovic bate Nadal e regressa a uma final de um Grand Slam

Sérvio levou a melhor sobre o espanhol, pelos parciais de 6-4, 3-6, 7-6 (11-9), 3-6 e 10-9, e vai jogar a final do open britânico com Kevin Anderson.

Novak Djokovic vai voltar a jogar uma final de um Grand Slam. O tenista sérvio derrotou o espanhol Rafael Nadal, em cinco sets, com os parciais de 6-4, 3-6, 7-6 (11-9), 3-6 e 10-9, e vai defrontar Kevin Anderson, na final de Wimbledon, no domingo.

Esta meia-final começou sexta-feira, mas teve de ser suspensa às 23.00, então com o sérvio a ganhar por 2-1, e retomada e acabada este sábado ao fim de um total de cinco horas e 16 minutos.

Novak Djokovic, antigo número um do mundo que tinha caído para 21.º da lista mundial, após lesão e operação ao cotovelo, não atingia uma final de Grand Slam desde 2016, ano em que ganhou o Open da Austrália e Roland Garros. Em Wimbledon, conta já três títulos (2011, 2014 e 2015) e uma final perdida (2013).

"É difícil encontrar palavras. Chegar aqui e ganhar ao melhor do mundo é muito especial. Acreditei sempre na vitória, mas sabia que ia ser muito apertado, que teria de aproveitar as oportunidades", começou por dizer Djokovic ainda na relva do All Englad Club, antes de confessar como a final em Wimbledon é tão importante para ele:"É uma grande conquista para mim depois do que passei. Quero aproveitar o momento e só depois pensar na final."

O adversário de Djokovic na final de domingo será o sul-africano Kevin Anderson, que sexta-feira afastou na outra meia-final o norte-americano John Isner, num duelo que durou seis horas e 35 minutos, o segundo mais longo de sempre da era open em Wimbledon.

Apesar da derrota, Nadal vai manter a liderança do ranking ATP, ampliando mesmo a vantagem sobre Roger Federer, eliminado uma ronda antes do que o espanhol (por Kevin Anderson).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG