Volta a Portugal. Sul-africano Willie Smit celebriza a expressão "saída à portuguesa"

O corredor da Burgos-BH está impressioinado com a Volta a Portugal. " É fantástico, os ciclistas aqui são muito fortes

Willie Smit tornou-se na segunda-feira uma 'estrela' nas redes sociais, com uma descrição sarcástica da Volta a Portugal, e esta terça-feira, à Lusa, justificou-a com o facto de os ciclistas portugueses andarem à mesma velocidade dos do WorldTour.

Quando a agência Lusa perguntou pelo sul-africano a um mecânico da Burgos-BH, o alerta foi imediato: "esse é um pouco 'louco'". A suspeita pairava no ar desde segunda-feira, quando o ciclista da equipa espanhola se converteu em 'trending topic' para os amantes da modalidade, com um 'tweet' que foi tema de conversa não só naquela rede social, mas também no Facebook.

"Hoje é o segundo dia da Grandíssima. Aqui não há regras. As equipas perseguem os seus próprios companheiros apenas para tornarem a corrida mais dura. Não há táticas, apenas 'watts'. Como diz o famoso ditado, é 'uma saída à portuguesa'. É a minha estreia aqui, por isso trouxe vaselina", escreveu o sul-africano de 27 anos.

Um dia depois, Smit ri-se assim que o já famoso 'tweet' é mencionado, antes de esclarecer que tem "muitos amigos que já participaram" na prova portuguesa e é daí que vêm as suas referências.

"É engraçado, porque temos uma estimativa calculada que seguimos sempre nas subidas, desse modo vemos a velocidade com que sobem e rimo-nos sempre porque é a mesma velocidade do WorldTour. É fantástico, os ciclistas aqui são muito fortes. Sempre me disseram que esta corrida é muito bonita, mas agora, com o covid-19, e numa altura diferente do ano, não há tanta gente, mas ainda assim é uma bela prova. Vai ser divertido, é uma boa experiência", resumiu.

Tentando justificar a sua publicação, o dorsal 13 da edição especial ressalvou que, "ao ser um pouco inglês", é também ele "um pouco sarcástico".

"Mas vai ser giro. Hoje, já vai ser muito difícil e vai ser interessante para ver o que eles [ciclistas portugueses] fazem, porque há poucas diferenças", anteviu em Paredes, à partida para a segunda etapa em linha da edição especial, que vai terminar no alto da Senhora da Graça.

Antes de subir à bicicleta para 'assinar o ponto', o campeão continental africano de 2017 ainda teve tempo para explicar de onde vem o ditado que tornou célebre: "eu vivo em Andorra, e quando treinamos com ritmo elevado, ou quando paramos para tomar café e retomamos com muita força, a primeira coisa que os corredores dizem é 'isto é uma saída à portuguesa'".

Mais Notícias