Sporting volta ao ritmo das goleadas e acelera para a final four da Taça da Liga

Leões ganharam por 4-1 ao Feirense, em Santa Maria da Feira, e marcam encontro com o Sp.Braga nas meias-finais da competição

O Sporting reagiu à derrota em Guimarães com o regresso às goleadas que se têm imposto como imagem de marca do leão na era Marcel Keizer. Num jogo decisivo para as aspirações leoninas na Taça da Liga, a equipa de Alvalade foi a Santa Maria da Feira bater por 4-1 o Feirense, garantindo assim um lugar na final four da competição, da qual é a campeã em título.

Raphinha nem deu tempo para o Sporting sentir a pressão do fantasma da derrota passada e da obrigatoriedade de ganhar para se manter vivo na Taça da Liga. Aos cinco minutos, no primeiro remate à baliza, o extremo brasileiro que voltou este sábado à titularidade nos leões arrancou um pontapé cruzado que só parou no fundo das redes, após uma boa incursão pela direita proporcionada por um passe de Bruno Fernandes, o médio que lê o jogo melhor do que o comum dos mortais num relvado de futebol.

O jogo ficava cedo à mercê deste Sporting com insaciável fome de golo, depois do jejum forçado em Guimarães na última jornada do campeonato. E os leões não abrandaram o ritmo. Não podiam sequer, porque as contas de um grupo decidido a três (Feirense, Sporting e Estoril) faziam dos golos um bem precioso para o desempate.

Voltou, pois, a ver-se o Sporting ofensivo e criativo que Marcel Keizer conseguiu montar em pouco tempo desde a sua chegada. Várias triangulações a meio-campo, boa pressão sobre a bola, movimentos interiores dos extremos a criarem desequilíbrios perto da área contrária. Ou, como aos 22 minutos, a capacidade de romper linhas de pressão com a subida de médios pelas costas da defesa contrária e o recurso ao lançamento em profundidade. Foi assim que Coates descobriu Bruno Fernandes para este fazer um chapéu perfeito sobre o guarda-redes Brígido.

Feirense esticou o jogo

Não quer isto dizer que o Feirense tenha sido uma presa fácil. Não foi. Bem pelo contrário. A equipa da casa - que precisava apenas de um empate para se apurar, mas desde cedo se viu obrigada a ir atrás do resultado - nunca virou a cara à luta. E fê-lo com um futebol interessante, capaz de colocar em sobressalto também a defesa leonina, aqui ou ali. Logo depois do golo de Bruno Fernandes, um encosto de Petrovic nas costas de Crivellaro deu motivo a um penálti para o Feirense, que Tiago Silva aproveitou para reduzir a desvantagem e dar fôlego novo à tentativa de reação.

Foi a fase mais frenética da partida, que contou ainda com nova oportunidade de Bruno Fernandes (de cabeça, na pequena área) salva de forma quase miraculosa por Brígido, o guarda-redes do Feirense que se destacaria em mais um punhado de ocasiões ao longo da partida.

A equipa de Nuno Manta Santos apostava na profundidade para fugir sempre que possível à teia da pressão leonina sobre a bola e a verdade é que o jogo se manteve esticado entre as duas áreas durante bastante tempo. O canto do cisne da oposição feirense terá ocorrido com uma boa escapada de Luís Machado pela esquerda, nas costas de Ristovski, no início da segunda metade, num lance que acabou intercetado de forma providencial por Mathieu, em carrinho, quando Machado se preparava para servir Edinho.

Bruno Fernandes dirigiu, Acuña acelerou

Depois disso, surgiu o penálti sobre Bas Dost que permitiu ao holandês aumentar a vantagem do Sporting e sentenciar quase em definitivo a partida e o apuramento para a final four da Taça da Liga. A partir daí, os leões engoliram o adversário e desdobraram-se na sucessão de linhas de passe que sustentam o futebol ofensivo desta era Keizer, com Bruno Fernandes a mexer quase todos os cordelinhos e Acuña a destacar-se como um incansável vaivém no flanco esquerdo, capaz de criar sucessivos desequilíbrios.

Um autogolo de Luís Machado, a culminar uma bela jogada de Miguel Luís e Diaby pelo corredor central, e a expulsão de Tiago Silva por protestos acabaram por afundar ainda mais o Feirense na partida. E o resultado só não se avolumou mais porque Brígido foi salvando o que pôde na baliza dos locais.

Ao terminar em primeiro lugar o grupo D - com vantagem na diferença de golos sobre Feirense e Estoril (que venceu hoje o Marítimo por 1-0), todos com seis pontos - o Sporting marcou encontro com o Sp. Braga nas meias-finais da Taça da Liga. A outra meia-final será disputada entre o Benfica e o vencedor do grupo C, onde FC Porto, Chaves e Varzim entram na última jornada, domingo, com hipóteses de apuramento.

A final four da Taça da Liga decorre entre 22 e 26 de janeiro, em Braga.

Ficha de jogo


Jogo disputado no Estádio Marcolino Castro, em Santa Maria da Feira.

Feirense - Sporting: 1-4.

Ao intervalo: 1-2.

Marcadores:

0-1, Raphinha, 05 minutos.

0-2, Bruno Fernandes, 22.

1-2, Tiago Silva, 24 (grande penalidade).

1-3, Bas Dost, 60 (grande penalidade).

1-4, Luís Machado, 67 (própria baliza).

Equipas:

- Feirense: Bruno Brígido, Diga (Valência, 70), Bruno Nascimento, Philipe Sampaio, Vítor Bruno, Babanco, Tiago Silva, Sturgeon (Brian, 85), Luís Machado, Crivellaro (Marco Soares, 77) e Edinho.

(Suplentes: Caio, Briseño, Mesquita, Cris, Marco Soares, Brian e Valência).

Treinador: Nuno Manta Santos.

- Sporting: Salin, Ristovsky (Bruno Gaspar, 83), Coates, Mathieu, Acuña (Jefferson, 89), Petrovic, Miguel Luís, Bruno Fernandes, Raphinha (Jovane Cabral, 69), Diaby e Bas Dost.

(Suplentes: Luís Maximiano, Jefferson, André Pinto, Mané, Bruno Gaspar, Jovane e Gudelj).

Treinador: Marcel Keizer.

Árbitro: Rui Costa (AF Porto).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Diga (41), Philipe Sampaio (57), Vítor Bruno (63), Jovane Cabral (71), Tiago Silva (77). Cartão vermelho direto para Tiago Silva (77).

Assistência: Cerca de 4.500 espetadores.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG