Uma bola. O pedido de Ronaldinho ao hotel de luxo onde cumpre prisão domiciliária

Jogador foi detido no Paraguai no dia 5 de março, por uso de documentos falsos. Esteve detido até o juiz aceitar a caução de 1, 6 milhões de euros para o deixar sair....

Ronaldinho Gaúcho e ao seu irmão Assis, acusados de uso de documentos falsos, estão em prisão domiciliária no hotel Palmaroga, um dos mais luxuosos da capital do Paraguai. Devido à atual situação de pandemia, a unidade hoteleira não tem mais hospedes e por isso os dois brasileiros têm o espaço só para eles. Ronaldinho ficou na suíte presidencial e segundo o gerente do hotel, o ex-Barcelona sente falta de jogar futebol, tendo pedido mesmo uma bola. E como o espaço não tem campo de futebol ou jardim, arranjou-lhe ainda uma sala de 30 por 15 metros para ele poder dar uns toques.

Depois de um mês numa penitenciária de Assunção, o ex- jogador saiu em liberdade no dia 8 de abril, após pagar uma fiança de 1,47 milhões de euros. Confinado, não pode deixar o hotel até ordem judicial, mas pode receber visitas. Em declarações ao jornal Excelsior, Emilio Yegros, revelou que na sexta-feira almoçou com Ronaldinho, Roberto e o cônsul brasileiro. "Ronaldinho não perde o humor e alterna suas conversas com piadas", revelou o gerente, antes de acrescentar: "Ele parece ser gente boa. Ele não perde o sorriso, nem o irmão. Seu rosto mudou desde o primeiro dia, quando chegou tenso e visivelmente stressado."

Os irmãos Assis vão assim aguardar o curso das investigações e o julgamento no luxuoso hotel. Pelas leis paraguaias, a prisão preventiva pode durar ainda cinco meses e, se forem condenados, o ex-jogador de FC Barcelona e o ex-futebolista do Sporting, nos anos 90 do século XX, podem apanhar até cinco anos de prisão.

Durante o mês em que esteve preso, junto de condenados por corrupção, tráfico de drogas e assassínios, o ex-jogador foi o centro das atenções no presídio. Participou de torneios de futebol e pôde usar telemóvel próprio livremente para conversar com amigos e parentes. No dia 21 de março, quando completou 40 anos, recebeu um churrasco feito pelos demais 30 presos como presente de aniversário. Ronaldinho também recebeu a visita de ex-jogadores famosos do Paraguai, até às mesmas serem proibidas, devido à pandemia do novo coronavírus.

Os dois brasileiros são acusados de entrarem no Paraguai no dia 4 de março com um passaporte falso. A investigação já envolve 16 indiciados e a Procuradoria juntou aos crimes de uso e falsificação de documentos uma possível ligação com uma organização criminosa, acusada de lavar 400 milhões de dólares.

Mais Notícias