Taça Libertadores. Santiago Bernabéu pode receber o River Plate-Boca Juniors

Notícias vindas de Espanha referem que o acordo está a 90% e só falta o sim dos dois clubes. Jogo deverá ser disputado a 8 ou 9 de dezembro

O Santiago Bernabéu, estádio do Real Madrid, pode ser a solução para a polémica em torno da segunda mão da final da Libertadores, entre os eternos rivais argentinos River Plate e Boca Juniors. Em Espanha diz-se que o acordo está praticamente fechado, faltando "apenas" o sim dos clubes.

A notícia foi avançada em primeira mão pelo programa "Jugones", do canal de televisão espanhol La Sexta, que refere que já existe acordo entre vários organismos, incluindo a FIFA, a CONMEBOL e a Federação Espanhola de Futebol (RFEF). O Real Madrid também já terá dado o sim ao jogo, que segundo um anúncio feito há poucos dias pela CONMEBOL será realizado fora da Argentina a 8 ou 9 de dezembro.

De acordo com a maioria da imprensa espanhola - desportiva e generalista - o acordo estará mesmo a 90% e poderá mesmo avançar depois de excluídas as hipóteses Doha (Qatar), Assunção (Paraguai) e Miami (EUA). O Sport diz que foi mesmo a FIFA a pedir ajuda à federação espanhola.

Diz o AS que até o presidente argentino, Mauricio Macri, interveio no processo, estando no meio de "várias telefonemas ao mais alto nível". O mesmo jornal refere que o presidente da CONMEBOL, Alejandro Dominguez, já agradeceu a Luis Rubiales, líder da RFEF, pela ajuda. O líder da FIFA, Gianni Infantino, deverá marcar presença no jogo, caso se confirme a solução Madrid.

No fim de semana de 8 e 9 de dezembro o Real Madrid joga fora, com o Huesca, para o campeonato, pelo que não existem problemas a este nível.

A Marca refere que o estádio madrileno agrada mais à CONMEBOL do que o jogo ser disputado em Doha, apesar de a Qatar Airways ser o mais importante patrocinador do organismo que regula o futebol sul-americano e também do Boca Juniors. Alegadamente, a companhia aérea estaria disposta a desembolsar 14 milhões de euros entre os finalistas e garantir viagens gratuitas de ida e volta para uma delegação de 40 pessoas por equipa. O mesmo jornal destaca as boas relações entre Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, e os homólogos de River e Boca, Rodolfo D'Onofrio e Daniel Angelici.

A notícia entretanto já faz eco na Argentina, com o desportivo Olé a dar destaque à notícia que vem de Espanha e pode assim dar solução ao problema criado pelos graves confrontos do dia 24 de novembro. Em dia de segunda mão da final da Libertadores, um ataque ao autocarro do Boca despoletou uma situação que, após o adiamento do jogo, ainda não foi resolvida.

O jogo estava inicialmente previsto para sábado, pelas 17:00 locais (20:00 em Lisboa), mas foi adiado duas vezes para horas posteriores, antes de passar para as 17:00 (20:00) do passado domingo, depois do ataque ao autocarro do Boca, a caminho do estádio Monumental.

Vários jogadores do Boca ficaram feridos, por serem sido atingidos por vidros ou devido ao uso de gás lacrimogéneo por parte da polícia, com o capitão Pablo Pérez a ter de ser assistido no hospital, antes de regressar ao estádio, com uma pala a proteger o olho esquerdo.

No primeiro jogo, em casa do Boca, registou-se um empate a duas bolas, depois de a partida ter sido adiada um dia devido à chuva forte que alagou o relvado do estádio La Bombonera.

Mais Notícias