Taça Libertadores: Flamengo de Jorge Jesus inicia ataque ao bis na Colômbia

A equipa de Jorge Jesus inicia nesta quarta-feira a fase de grupos da Taça Libertadores com objetivo de voltar a conquistar a competição que ganhou em 2019.

O Flamengo, dirigido pelo treinador português Jorge Jesus, inicia na próxima quarta-feira (4 de março), o arranque da fase de grupos, no reduto dos colombianos do Junior Barranquilla, o ataque à vitória da Taça Libertadores em futebol pela segunda vez consecutiva.

Os campeões brasileiros vão disputar o Grupo A, do qual ainda fazem parte dois clubes equatorianos, o Independiente del Valle e o Barcelona de Guayaquil, com os dois primeiros a seguirem para os oitavos de final.

A equipa do treinador português arranca na Colômbia, depois recebe o Barcelona (11 de março) e fecha a primeira volta em Quito (19 de março), para, na segunda, começar em Guayaquil (7 de abril), antes de ser anfitrião do Independiente del Valle (22 de abril) e Junior FC (6 de maio).

A equipa do Rio de Janeiro, que arrecadou em 2019 um cetro continental que só havia conquistado uma vez na história, no longínquo ano de 1981, parte agora como favorito, na qualidade de melhor equipa da América do Sul, de papel passado.

Os rubros negros são detentores da Taça Libertadores e da Supertaça sul-americana, depois de terem batido precisamente o Independiente del Valle (27 de fevereiro), titular da Taça sul-americana, por 3-0, no Maracanã, após empate a dois golos no Equador.

No ano passado, o Flamengo foi orientado na fase de grupos por Abel Braga, que conseguiu o apuramento, já que venceu o Grupo D, mas com os mesmos 10 pontos de Liga de Quito e Peñarol, sendo que, a fechar, empatou a zero em Montevideu. Depois, com o técnico luso, o mengão superou sucessivamente os equatorianos do Emelec (4-2 nos penáltis, no Maracanã, depois de emendar com um 2-0, o 0-2 que sofreram fora), os compatriotas do Internacional (2-0 em casa e 1-1 fora) e do Grêmio (1-1 fora e 5-0 em casa) e, na final, os argentino do River Plate (2-1).

O ex-avançado benfiquista Gabriel Barbosa, com golos aos 89 e 90+2 minutos, foi o grande herói do Flamengo e, destacado, o melhor marcador da competição, com nove golos. Entretanto adquirido em definitivo ao Inter de Milão, continua a ser uma das estrelas do Flamengo, que, em relação a 2019, perdeu apenas um peça importante, o central Pablo Mari (rumou ao Arsenal), e ainda Reinier (Real Madrid).

O técnico português não permitiu, porém, que a equipa ficasse mais fraca, recrutando os centrais Gustavo Henrique (ex-Santos) e Léo Pereira (ex-Athetico Paranaense), como também os avançados Pedro (ex-Fiorentina) e Michael (ex-Goiás).

O Flamengo está, assim, preparado para a forte concorrência, similar à de 2019, com os argentinos do River Plate (Grupo D) e do Boca Juniors (H) à cabeça, sem esquecer os restantes clubes brasileiros, entre os quais o Santos, de Jesualdo Ferreira.

O veterano técnico luso, que em Portugal treinou o Benfica, FC Porto e Sporting, foi contratado pelo "peixe" para 2020, mas não tem tido um início fácil e, em vésperas do arranque da Taça Libertadores, o seu lugar já parece estar em perigo.

Na competição continental, a equipa paulista está no Grupo G, com o Olímpia (Paraguai), o Delfín (Equador) e o Defensa y Justicia (Argentina), com arranque na terça-feira (3 de março), em Florência Varela, na província de Buenos Aires.

O Santos, que venceu a prova duas vezes com o Pelé (1962 e 1963) e uma com Neymar (2011), tem como principal objetivo passar a fase de grupos, o que conseguiu na última presença em 2018, ano em que não passou dos oitavos de final.

Mais Notícias