Portugal num grupo com velhos conhecidos e a ambição do título mundial

Seleção Nacional vai jogar com Sérvia, Rep. Irlanda, Luxemburgo e Azerbaijão no apuramento para o próximo Campeonato do Mundo, que se jogará em 2022 no Qatar. CR7 terá 387 anos. "Se Portugal quer ser candidato a campeão do Mundo tem de passar a fase de grupos", avisou Fernando Santos. Qualificação vai decorrer entre março e novembro de 2021 com um Europeu pelo meio.

A seleção nacional foi a primeira a sair no sorteio de apuramento europeu para o Mundial2022 e ficou assim no Grupo A, juntamente com Sérvia, Rep. Irlanda, Luxemburgo e Azerbaijão. Um grupo de velhos conhecidos, que não tem segredos para Portugal, uma vez que terá pela frente quatro adversários com os quais já se cruzou em fases de apuramento anteriores. Como quinta classificada do ranking FIFA, a equipa de Fernando Santos evitou assim equipas como Espanha, Itália, Croácia, Dinamarca, Alemanha e Holanda.

"Estes sorteios não são para analisar, são para jogar e ganhar. Estas análises são sempre muito teóricas. Já tivemos situações teoricamente mais difíceis que se tornaram mais fáceis. Agora é preciso preparar bem e ver o calendário. Se forem adversários que conhecemos melhor pode ajudar-nos na análise. Irlanda e Azerbeijão nunca defrontei como selecionador. Temos de procurar meios para os conhecer. Se Portugal quer ser candidato a campeão do Mundo, e se se assume assim, tem de passar a fase de grupos", reagiu Fernando Santos ao Canal 11.

Questionado sobre se a Sérvia é o adversário mais difícil, o selecionador português, admitiu que é de todos os adversários o que tem "jogadores de elite melhores campeonatos e clubes da Europa", mas há que olhar para a seleção sérvia como um todo: "A Sérvia é um conjunto de jogadores de elevadíssima qualidade. São uma equipa muito poderosa."

Sobre as escolhas, defendeu: "A seleção é aberta, não tem idades, não olha para o BI. Olha para a qualidade dos jogadores e depois escolhe 23. Não é por força do que quer que seja." Mas é incontornável que Cristiano Ronaldo terá 37 anos. "Eu não fecho portas. Enquanto tiver forças e motivação, irei sempre à seleção. Só deixo de ir quando não me quiserem (risos). Mundial do Qatar? Sinceramente, não descarto. Eu vivo o presente do futebol, mas acho que pode acontecer", disse o capitão da seleção nacional à TVI em 2019.

Pode ser o sexto Campeonato do Mundo seguido de Portugal - tem sete participações no total -, depois da Coreia do Sul e Japão (2002), Alemanha (2006), África do Sul (2010), Brasil (2014) e Rússia (2018). Fernando Santos é selecionador desde 2014 e tentará a qualificação para a quinta grande competição internacional depois dos europeus de 2016 e 2020, do Mundial2018 e da Liga das Nações 2019.

Vantagem no confronto direto com todos os adversários

Portugal tem vantagem sobre todos os adversários nos confrontos diretos. Em 42 jogos contra Sérvia, Irlanda, Luxemburgo e Azerbaijão, a equipa das quinas venceu 30, empatou sete e perdeu apenas cinco, tendo marcado 100 golos e sofrido 25.

A Sérvia (30.ª colocada do ranking da FIFA) já emparelhou três vezes (2008, 2012 e 2016) com os portugueses nas qualificações para europeus, mas será uma estreia num apuramento para a fase final de um Campeonato do Mundo. Portugal nunca perdeu com os sérvios, tem três vitórias e três empates, mas para Marko Pantelic, vice-presidente da Federação Sérvia de Futebol, os embates com o "velho conhecido" no apuramento para o Qatar serão "fortes e incertos". Os sérvios ambicionam a qualificação direta.

O país que fez parte da Jugoslávia nunca esteve na fase final da competição continental como nação independente. Orientada por Ljubiša Tumbaković, a seleção sérvia inclui nomes como Dusan Tadic, Milinkovic-Savic, Nemanja Matic e Luka Jovic.

Em 13 jogos com os irlandeses (42.ª do ranking FIFA), Portugal levou a melhor em sete, empatou dois e foi derrotado em quatro ocasiões. Agora 20 anos depois do último encontro as seleções voltaram a medir forças. Orientada por Stephen Kenny, a Rep. Irlanda tem Matt Doherty, Séamus Coleman, Shane Duffy e Caoimhín Kelleher como principais figuras.

E se a equipa das quinas quer a oitava presença num mundial, a Irlanda procura a quarta participação (1990, 1994 e 2002). Algo que Luxemburgo e Azerbaijão jamais lograram. O Luxemburgo (98.º do ranking FIFA) é um velho conhecido, com 17 duelos: 15 vitórias, um empate, uma derrota e confrontos nos apuramentos para os mundiais de 1962, 1990, 2006 e 2014. Será assim a quinta vez que portugueses e luxemburgueses medirão forças num apuramento para um mundial. A equipa do Grão Ducado chegou a ter mais de dez luso-descententes. Agora a descendência portuguesa está reduzida a Marvin da Graça (Casa Pia), Mica Pinto e Daniel da Mota.

Já o Azerbaijão (109.º ranking FIFA) defronta Portugal pela segunda vez em fases de apuramento para um mundial, depois de 2014, num total de cinco vitórias (uma delas por 7-0, em 2000) e um empate. A seleção azeri é orientada pelo italiano Gianni de Biasi, que nos anos 70 e 80 foi jogador do Inter Milão, e tem apenas três ou quatro atletas a atuar fora do Azerbaijão (Araz Abdullayev, Eddi İsrafilov e Renat Dadashov foram os únicos estrangeiros na última convocatória).

Apuramento diferente: 55 seleções para 13 vagas

O Qatar do português naturalizado Pedro Correia é o anfitrião e por isso já está apurado. Depois há 55 seleções à procura das 13 vagas disponíveis para a Europa, numa fase de qualificação que será ligeiramente diferente do habitual. Na fase de grupos as equipas jogam entre si duas vezes, entre 24 de março e 16 de novembro, e o primeiro classificado de cada grupo garante um lugar.

Depois, os dez segundos jogam os play-offs juntamente com os dois vencedores de grupos da Liga das Nações que não consigam qualificar-se diretamente para o Mundial2022 ou para os play-offs. Estas 12 seleções serão divididas em três grupos de quatro, sendo cada grupo uma espécie de minitorneio com uma meia-final a uma final, que dita cada um dos três vencedores dos play-offs marcados para 24, 25, 28 e 29 de março de 2022. E assim ficam encontrados os 13 países europeus no Mundial2022.

O sorteio teve várias condicionantes, uma delas por questões geopolíticas. Assim, Arménia e Azerbaijão, Gibraltar e Espanha, Kosovo e Bósnia, Kosovo e Sérvia, Kosovo e Rússia e Ucrânia e Rússia não poderiam ficar nos mesmos grupos (ver abaixo como ficou o sorteio).

Devido ao forte calor que se faz sentir no país acolhedor, o mundial no Qatar decorrerá entre 21 de novembro e 18 de dezembro. Já o apuramento começa em março de 2021, mas só em outubro do próximo ano se conhecerá os apurados. Pelo meio ainda haverá um Europeu - prova adiado de 2020 para 2021 por causa da pandemia.

Luxo, corrupção, exploração laboral e jogos no inverno

Desde que em dezembro de 2010 a FIFA atribuiu ao emirado árabe a organização do Campeonato do Mundo de 2022, têm surgido uma sucessão de questões levantadas em torno da decisão. As suspeitas de corrupção têm sido constantes, mas as altas temperaturas, as questões diplomáticas e os problemas de exploração laboral também estiveram (e continuam) na ordem do dia.

O emirado árabe do Qatar é uma pequena península que irrompe pelo Golfo Pérsico, mas cujo território é um pouco maior que a região portuguesa do Baixo Alentejo. Dinheiro é coisa que não falta graças às receitas do petróleo e do gás natural, do qual tem a terceira maior reserva mundial.

Um dos luxos é poder selecionar jogadores de antemão e colocá-los a jogar na Europa. O Eupen, clube da Jupiler Pro League (Bélgica), que é detido por um grupo de investimento do Qatar, pode assim ser a casa da seleção anfitriã durante a próxima temporada (2021-22) para que os jogadores se preparem em conjunto para o Mundial2022. Como as regras do campeonato belga exigem apenas um mínimo de seis jogadores formados na Bélgica numa convocatória de 18 jogadores, isso permitiria a utilização de um onze inicial de 100% composto por internacionais pelo Qatar. Tem agora a voz a federação belga e a própria FIFA, uma vez que é algo sem precedentes no futebol.

Eis os 10 grupos do apuramento europeu

Grupo A Portugal, Sérvia, República da Irlanda, Luxemburgo e Azerbaijão

Grupo B Espanha, Suécia, Grécia, Geórgia, Kosovo

Grupo C Itália, Suíça, Irlanda do Norte, Bulgária, Lituânia

Grupo D França, Ucrânia, Finlândia, Bósnia, Cazaquistão

Grupo E Bélgica, País de Gales, República Checa, Bielorrússia, Estónia

Grupo F Dinamarca, Áustria, Escócia, Israel, Ilhas Faroé, Moldávia

Grupo G Países Baixos, Turquia, Noruega, Montenegro, Letónia, Gibraltar

Grupo H Croácia, Eslováquia, Rússia, Eslovénia, Chipre, Malta

Grupo I Inglaterra, Polónia, Hungria, Albânia, Andorra, San Marino

Grupo J Alemanha, Roménia, Islândia, Macedónia, Arménia, Liechenstein

Mais Notícias

Outras Notícias GMG