Hernâni salvou o FC Porto de ser tombado pelo Leixões

Os dragões sofreram bastante para levar a melhor sobre o Leixões, por 2-1, e garantir o apuramento para as meias-finais da Taça de Portugal, onde vão defrontar o Sp. Braga

O FC Porto sofreu a bom sofrer para garantir o apuramento para as meias-finais da Taça de Portugal frente ao Leixões, 11.º classificado da II Liga. Os dragões vão agora discutir o acesso à final com o Sp. Braga, numa eliminatória a duas mãos.

Mas foi preciso chegar a dois minutos do final do prolongamento para que aparecesse o golo salvador de Hernâni, jogador que se está a especializar-se em tirar a equipa de Sérgio Conceição de aflições, pois já são quatro golos salvadores que marcou, três deles deram vitória e um deu empate com o Chaves na Taça da Liga.

Sérgio Conceição fez uma autêntica revolução no onze, lançando uma defesa inédita com Mbemba como lateral direito e Pepe a estrear-se no eixo da defesa e um ataque entregue a André Pereira e Fernando Andrade. Mas nem as mudanças impediram os dragões de entrarem na partida a pressionar e a impor desde logo a lei do mais forte.

Sabendo do grande desequilíbrio de forças, os leixonenses foram à luta num relvado muito complicado que impedia a que a equipa tecnicamente melhor exibisse um futebol de mais qualidade. Os portistas conseguiram chegar ao golo logo aos 11 minutos que parecia desbloquear desde logo uma boa parte do problema. Foi no primeiro remate do jogo, com Herrera a rematar cruzado, após um excelente passe de Óliver Torres.

Sempre com o controlo da situação, o FC Porto jogou depois de forma mais pausada, atacando pela certa, sabendo que com o passar do tempo poderia aproveitar algum erro da defesa contrária.

Zé Paulo foi arma secreta leixonense

O Leixões, sempre na base da luta, sentia muitas dificuldades em aproximar-se da baliza defendida por Fabiano, sobretudo porque os seus médios demoravam a soltar a bola, sobretudo Bernardo Martins, o que facilitava as marcações da defesa azul e branca. Acabou por ser o FC Porto a criar a melhor chance para voltar a marcar, mas Fernando Andrade, à meia volta, rematou às malhas laterais.

No segundo tempo, a equipa treinada por Jorge Casquilha entrou muito bem, jogando de forma mais rápida e conseguindo trocar mais a bola no seu meio-campo à procura dos espaços, explorando os dois flancos na tentativa de aproveitar as costas dos laterais portistas. Ainda assim, quando a bola chegava à área contrária, a defesa do FC Porto ia resolvendo os problemas. Sentindo a sua equipa em perigo, Sérgio Conceição tirou Jesús Corona e lançou Éder Militão para jogar como médio defensivo.

Foi então que Jorge Casquilha optou por colocar em campo Zé Paulo na tentativa de incomodar ainda mais a zona central dos portistas. E a substituição deu frutos cinco minutos depois (aos 78'), quando o médio brasileiro arrancou um forte remate de fora da área que só parou no fundo da baliza de Fabiano. Estava feito o empate para desespero de Sérgio Conceição, que ainda colocou em campo Soares e Marega na tentativa de evitar o prolongamento, mas não conseguiu.
No tempo extra, vieram ao de cima as dificuldades físicas dos jogadores leixonenses, aproveitando o FC Porto para intensificar a pressão junto da baliza de Luís Ribeiro que foi adiando o golo.

Hernâni salvador à beira do fim

Os portistas ainda festejaram num lance em que o auxiliar do árbitro João Capela anulou por fora de jogo inexistente de Soares. E foi já quando todos já esperavam o desempate por penáltis que lá surgiu o golo de Hernâni, que aproveitou um toque meio atabalhoado de Adrián López para bater Luís Ribeiro e fazer a festa do apuramento.

O FC Porto quebrava assim uma malapata de jogos com prolongamento na Taça de Portugal, pois nas sete anteriores vezes tinha sido sempre eliminado, seis delas nos penáltis. É preciso recuar a 2005/06 para encontrar um apuramento dos dragões em jogos que tiveram tempo extra, foi frente ao Marítimo.

A FIGURA - HERNÂNI

Entrou ao minuto 99 naquela que foi a última cartada de Sérgio Conceição para evitar que o jogo fosse para a decisão por penáltis. E a verdade é que a aposta resultou em cheio. É que ao minuto 108 lá estava ele no sítio certo, bem no coração da área, a aproveitar um dos raros erros da defesa leixonense para dar a vitória e o apuramento à sua equipa.

VEJA O RESUMO DA PARTIDA

FICHA DO JOGO

Estádio do Mar, em Matosinhos
Árbitro: João Capela (Lisboa)

Leixões: Luís Ribeiro; Jorge Silva, Bura, Matheus Costa, Stéphane Dasse; André Ceitil (Zé Paulo, 71'), Bernardo Martins (Evandro Brandão, 62') (Roniel, 91'), Lawrence Ofori (Oudrhiri, 90'+2), Luís Silva; Erivaldo, Pedro Henrique
Treinador: Jorge Casquilha

FC Porto: Fabiano Freitas; Mbemba (Marega, 87'), Felipe, Pepe, Alex Telles; Jesús Corona (Éder Militão, 70'), Herrera, Óliver Torres, Adrián López; André Pereira (Soares, 80'), Fernando Andrade (Hernâni, 99')
Treinador: Sérgio Conceição

Cartão amarlo a Felipe (29'), Pepe (88'), Erivaldo (98'), Jorge Silva (108')

Golos: 0-1, Herrera (11'); 1-1, Zé Paulo (78'); 1-2, Hernâni (118')

AO MINUTO

Mais Notícias

Outras Notícias GMG