Sérgio Conceição: "A minha vontade é acabar com o jejum em Inglaterra"

O FC Porto joga esta quarta-feira com o Manchester City em Inglaterra, um país onde nunca conseguiu vencer.

Sérgio Conceição assumiu esta terça-feira a vontade garantir a primeira vitória de sempre do FC Porto em Inglaterra, na partida que se realiza amanhã (20.00 horas) no Estádio Ethiad, frente ao Manchester City, a contar para a 1.ª jornada do grupo C da Liga dos Campeões.

"A minha vontade é acabar com esse jejum, mas temos muito respeito pelo adversário e pelo que tem feito nos últimos anos, especialmente com este treinador", começou por dizer o técnico portista, não fugindo ao desafio: "Queremos contrariar essa estatística tão negativa, mas cada jogo tem a sua vida própria e não tem nada a ver com o passado."

A "vontade de ganhar" foi repetida por Sérgio Conceição, lembrando que a sua carreira de jogador e treinador "foi feita na Liga dos Campeões", razão pela qual diz que o sentimento é igual em todos os jogos desta competição.

Questionado sobre a melhor forma de contrariar o Manchester City, o técnico português admite que se trata de um adversário forte com bola e levanta a ponta do véu sobre a estratégia a utilizar: "Só há uma bola, se lha tirarmos fica mais difícil para eles criarem-nos dificuldades. A minha equipa também é forte com bola e no processo, mas do outro lado temos uma equipa de qualidade." Sérgio Conceição acrescentou ainda que a estratégia "passa também por pressionar o City em determinadas zonas que é preciso ter em conta".

O treinador portista considerou não ter dito "nada de mais" no final do clássico de sábado com o Sporting, quando afirmou que os reforços precisam de se identificar com o FC Porto. "É certo que tudo é trabalhado e os detalhes são super importantes no futebol. Não disse nada de mais, todos entendem as características deste clube e as minhas como treinador, por isso não percebo todo o alarido em torno daquilo que eu disse", frisou.

Sérgio Conceição aproveitou ainda para explicar porque entregou a braçadeira de capitão a Pepe. "É um excelente profissional, um homem de balneário e grandíssimo atleta. Ele percebe que para se atingir um alto nível aos 37 anos é preciso mais do que duas horas de treino no Olival. Agrega a isso um caráter fantástico e uma dedicação ao clube e aos companheiros. É o jogador mais competitivo que encontrei", sublinhou.

O próprio Pepe admitiu ter ficado "muito feliz" por ter sido designado capitão. "Sei a responsabilidade que é representar este clube, pelo qual tenho muito carinho", disse.

Fazendo uso da sua longa experiência de ter defrontado equipas treinadas por Pep Guardiola, o internacional português assegurou que será preciso "trabalhar muito para ganhar" a partida desta quarta-feira, destacando que "o mais importante é manter a concentração e ter estofo emocional durante jogo".

Há cerca de uma semana Pepe partilhou o balneário com Rúben Dias, Bernardo Silva e João Cancelo na seleção nacional. O defesa-central admite que houve conversas com Rúben Dias sobre o jogo: "Tenho um carinho e um respeito muito grande por ele desde o primeiro dia que ele chegou à seleção. Sempre foi um jogador exemplar e isso mostra bem como é o seu caráter. Fico feliz de ele estar no Manchester City, mas amanhã espero que sair daqui mais feliz do que ele."

Mais Notícias