Ex-presidente do Barcelona absolvido após quase dois anos em preventiva

Tribunal espanhol absolveu Sandro Rosell, que enfrentava uma pena de seis anos de prisão por branqueamento de comissões recebidas pelo também ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira.

O empresário Sandro Rosell, de 55 anos, que liderou o clube catalão de 2010 a 2014 e se encontrava há 21 meses em prisão preventiva, foi absolvido ao abrigo do princípio 'in dubio pro reo' [em caso de dúvida é decidido em favor do réu].

Além de Sandro Rosell, também foram absolvidos outros cinco acusados no processo de lavagem de 20 milhões de euros de comissões pelos direitos televisivos de 24 jogos da seleção brasileira de futebol e de um contrato com a Nike.

O acórdão da Audiência Nacional, tribunal com sede em Madrid, refere que depois de analisadas as provas produzidas em julgamento "não foi possível confirmar as alegações e, portanto, perante as dúvidas semeadas, prevaleceu o princípio de in 'dubio pro reo'".

Sandro Rosell esteve detido em prisão preventiva durante 643 dias - a mais longa por um alegado crime económico em Espanha - e viu ser-lhe negada a liberdade condicional por 13 vezes.

Mais Notícias