Roland Garros. Djokovic domina em dia de eliminação de João Sousa

O tenista sérvio Novak Djokovic estreou-se com uma exibição irrepreensível e uma vitória convincente frente ao sueco Mikael Ymer, na primeira ronda de Roland Garros, numa jornada em que alguns favoritos sofreram e João Sousa foi eliminado.

Num dia de chuva em Paris, o número um mundial bateu o jovem adversário, de 22 anos, que ocupa o 80.º lugar do 'ranking' ATP, em apenas três 'sets', pelos parciais de 6-0, 6-2 e 6-3, ao cabo de uma hora e 38 minutos de um encontro disputado sob a nova cobertura amovível do 'court' Philippe Chatrier.

Depois de ceder apenas cinco jogos em três partidas, o campeão de Roland Garros de 2016, que procura o 18.º título do 'Grand Slam' em Paris, somou a 32.ª vitória esta temporada e marcou encontro na segunda ronda com o lituano Ricardas Berankis, que derrotou o boliviano Hugo Dellien por 6-1, 6-4 e 6-4.

João Sousa perde

O português João Sousa despediu-se hoje de Roland Garros ao perder na primeira ronda diante o eslovaco Andrej Martin, em três 'sets'.

A disputar já durante a noite o último encontro do 'court' 4, depois de a chuva ter atrasado a jornada, o número um nacional e 77.º colocado ATP não foi capaz de ultrapassar o adversário, que figura no 102.º posto da mesma hierarquia, e cedeu a qualificação para a segunda ronda pelos parciais de 7-5, 6-1 e 6-2, em uma hora e 53 minutos.

João Sousa, que na primeira partida foi quebrado no quarto jogo, para ficar em desvantagem, por 1-3, até conseguiu devolver o 'break', ao converter a primeira das duas oportunidades no nono jogo, e reduziu de 2-5 para 4-5. Igualou a contenda no seu jogo de serviço (5-5), mas não conseguiu evitar a nova quebra de serviço, ao cometer um erro de direita, e cedeu por 7-5.

Após uma advertência por abuso verbal, o minhoto, de 31 anos, voltou a sofrer novo 'break' no quarto jogo e, depois de uma segunda quebra de serviço, já emocionalmente fragilizado e um nível de jogo inconsistente, viu Martin fechar o segundo 'set' por 6-1, em apenas 29 minutos.

Desmotivado, pouco assertivo e incapaz de desestabilizar o adversário, Sousa entrou mal na terceira partida ficando rapidamente em desvantagem por 1-4. Ainda reduziu para 2-4, mas, com novo erro, permitiu ao eslovaco, que está a disputar pela quarta vez um quadro principal de um torneio do 'Grand Slam', passar para a frente com 5-2 e servir para encerrar o embate por 6-2.

Na sequência de apenas duas quebras de serviço, em cinco oportunidades, 32 erros não forçados e apenas 14 'winners', João Sousa despediu-se, pelo terceiro ano consecutivo, do 'major' parisiense na ronda inaugural, permanecendo sem vencer qualquer encontro de um quadro principal ATP desde o Masters 1.000 de Shangai em outubro de 2019.

Favoritos avançam

Ao contrário do português João Sousa (77.º ATP), que acabou por ceder a passagem à fase seguinte ao eslovaco Andrej Martin (102.º ATP), o grego Stefanos Tsitsipas, número seis da hierarquia mundial, conseguiu recuperar de uma desvantagem de dois 'sets' diante o espanhol Jaume Munar (109.º ATP) e sentenciou a qualificação para a segunda ronda, pelos parciais de 4-6, 2-6, 6-1, 6-4 e 6-4.

Consumado o triunfo, o helénico, de 22 anos, que disputou no domingo a final do ATP 500 de Hamburgo, vai ter como próximo adversário o uruguaio Pablo Cuevas, numa reedição da final do Estoril Open de 2019, após a vitória deste ante o suíço e 'qualifier' Henri Laaksonen em quatro 'sets', por 6-1, 2-6, 6-4 e 6-2.

Tal como Tsitsipas, o russo Andrey Rublev, campeão do torneio alemão, também entrou a perder e, depois de ceder as duas primeiras partidas, foi obrigado a trabalhos redobrados para assegurar a continuidade no terceiro 'major' da temporada, pelos parciais de 6-7 (5-7), 6-7 (4-7), 7-5, 6-4 e 6-3, em três horas e 17 minutos.

Enquanto o número 12 mundial, também de 22 anos, vai jogar com o espanhol Alejandro Davidovich Fokina na fase seguinte da prova, o canadiano Denis Shapovalov (11.º ATP), de 21 anos, irá medir forças com Roberto Carballes Baena, após bater na estreia o francês Gilles Simon em quatro 'sets', por 6-2, 7-5, 5-7 e 6-3.

Na competição feminina, a checa Karolina Pliskova, número quatro do 'ranking' WTA e segunda cabeça de série, passou igualmente por algumas dificuldades para ultrapassar Mayar Sherif, depois de desperdiçar oito 'set points' na primeira partida, que viria a perder.

Ainda assim, conseguiu dar a volta ao desafio e acabou por eliminar a primeira egípcia a disputar o quadro principal de Roland Garros (172.ª WTA), pelos parciais de 6-7 (7-9), 6-2 e 6-4, e agendar encontro na segunda ronda com a letã Jelena Ostapenko, campeã em Paris em 2017.

À semelhança da checa, de 28 anos, a norte-americana Sofia Kenin, campeã do Open da Austrália, cedeu um 'set' no primeiro embate na terra batida parisiense frente à russa Liudmila Samsonova, mas acabou por triunfar em três partidas, por 6-4, 3-6 e 6-3, em uma hora e 58 minutos. O próximo desafio da número seis mundial será com a romena Ana Bogdan (93.ª WTA).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG