Quase mil milhões de prejuízo. Liga espanhola faz contas e não poupa jogadores

Caso as competições não regressem em Espanha, custos podem atingir 956,6 milhões de euros. Liga e federação querem que os jogadores suportem metade deste valor com cortes nos salários.

Todos os cenários estão em cima da mesa no mundo do futebol. A UEFA e as diversas ligas acreditam que vai ser possível concluir os campeonatos, e o organismo que rege o futebol europeu deu mesmo um prazo até 3 de agosto para que os campeonatos estejam concluídos. Mas ninguém sabe se tal será possível pois está tudo dependente da evolução da pandemia de covid-19. Por isso, de acordo com o jornal Marca, a liga e a federação espanhola já fizeram as contas aos prejuízos que os clubes podem vir a ter caso as provas não sejam retomadas. E os valores são assustadores.

No pior dos cenários (as provas não serem retomadas), os custos podem atingir quase mil milhões de euros, mais concretamente 956,6 milhões de euros. Na melhor da hipóteses, ou seja, as competições serem retomadas mas à porta fechada, as perdas financeiras rondariam os 303,4 milhões de euros. Caso os campeonatos regressem dentro de toda a normalidade, com público nas bancadas, os prejuízos desceriam para 156,4 milhões de euros. São estes os cenários traçados pela liga e pela federação espanhola.

No estudo elaborado pelas entidades que regem o futebol em Espanha está também acautelado em todos os cenários como os clubes espanhóis iriam assumir estes danos financeiros. E a proposta da liga e da federação espanhola não poupa os jogadores (em termos de salários), que no caso do pior cenário (sem competições) teriam de assumir 47% dos prejuízos, ou seja, da fatia de quase mil milhões de euros teriam de pagar 451 milhões. Se as provas fossem retomadas à porta fechada esta percentagem seria de 46% (140 milhões) e se for possível jogar com público nas bancadas 49% (77 milhões).

Este é para já um estudo que está em cima da mesa e o jornal Marca recorda que agora caberá ao presidente do sindicato de jogadores espanhóis de futebol, David Aganzo, consultar os atletas. Na prática, os futebolistas têm de responder se aceitam assumir que vão perder nos próximos meses cerca 50% dos seus rendimentos.

Mais Notícias