Quaresma lembra tio-avô: "Família Quaresma sempre soube estar do lado certo da história"

Extremo internacional português voltou ao ataque a André Ventura, que tinha defendido o plano de desconfinamento específico para a comunidade cigana

Ricardo Quaresma voltou esta quarta-feira ao ataque a André Ventura, que recentemente defendeu um plano de desconfinamento específico para a comunidade cigana.

Referindo-se ao tio-avô, A​rtur Quaresma, que num jogo entre Portugal e Espanha em 1938 recusou fazer uma saudação nazi, o extremo internacional português diz que "ontem como hoje, a família Quaresma sempre soube estar do lado certo da história". "E nunca se vergou nem teve medo de dizer não ao racismo", acrescentou, numa publicação (entretanto apagada) no Twitter, em que remete para um texto que aborda a atitude do familiar.

Mais tarde, num direto na página de Facebook do Instituto Português do Desporto e da Juventude (IPDJ), deixou novamente críticas ao deputado do Chega, que considerou "lamentável que um jogador da Seleção Nacional se envolva em política", depois de o futebolista de 36 anos ter atacado o que considera ser "populismo racista do André Ventura".

"Já disse o que tinha a dizer e o que sinto. Por acaso vi a resposta do sr. André Ventura. Sinceramente, não a percebi. Por ele dizer que os jogadores não devem meter-se na política, ele não deve esquecer que ficou conhecido por defender o clube dele, ficou conhecido por falar de futebol. Eu pago impostos em Portugal e tenho direito a dar a minha opinião. Ninguém me vai calar, nem ele nem ninguém. Esse tema está fechado, quero é que acabe essa parte dos racismos. Para mim é difícil ouvir esses comentários", frisou o jogador que alinha nos turcos do Kasimpasa.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG