Quaresma ataca "populismo racista do André Ventura"

Extremo internacional português critica proposta de André Ventura, que defendeu recentemente um plano de confinamento específico para a comunidade cigana perante o novo coronavírus

Ricardo Quaresma teceu duras críticas a André Ventura, que recentemente defendeu um plano de confinamento específico para a comunidade cigana perante o novo coronavírus.

Nas redes sociais, o extremo internacional português de 36 anos, escreveu uma longa publicação a atacar o "populismo racista" do deputado do Chega.

"Triste de quem tenta ser alguém na vida atirando os homens uns contra os outros. Quando um homem se ajoelha na frente de Deus devia olhar para Deus com o mesmo amor com que Deus olha para nós, sem distinção de raça ou cor. Triste de quem se ajoelha só para ficar bem na fotografia, para enganar os outros e parecer um homem de bem aos olhos do povo", começou por dizer, dando em seguida o exemplo da seleção nacional, que é representada por futebolistas de várias etnias.

"A Seleção Nacional de futebol é de todas as cores, pretos, brancos e até ciganos. Em todos bate no coração a vontade de dar a glória ao país e no momento de levantar os braços e celebrar um golo acredito que nenhum português celebre menos porque o jogador é preto, branco ou cigano. Eu sou cigano. Cigano como todos os outros ciganos e sou português como todos os outros portugueses e não sou nem mais nem menos por isso. Como homem, cigano e jogador de futebol já participei em várias campanhas de apelo contra o racismo, não porque parece bem mas porque acredito que somos todos iguais e todos merecemos na vida as mesmas oportunidades independentemente do berço em que nascemos. O populismo racista do André Ventura apenas serve para virar homens contra homens em nome de uma ambição pelo poder que a história já provou ser um caminho de perdição para a humanidade", atirou o futebolista dos turcos do Kasimpasa.

"Olhos abertos amigos, o populismo diz sempre que é simples marcar golo mas na verdade marcar um golo exige muita tática e técnica. Olhos abertos amigos, o racismo apenas serve para criar guerras entre os homens em que apenas quem as provoca é que ganha algo com isso. Olhos abertos amigos, a nossa vida é demasiado preciosa para ouvirmos vozes de burros... isto se queremos chegar ao céu", concluiu.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG