Presidente do Moreirense doou 10 ventiladores. "A saúde é a prioridade"

Vítor Magalhães, presidente do clube de Moreira de Cónegos, diz que é altura de todos se unirem para combater o surto de covid-19 e desafia mais pessoas a seguirem o seu exemplo. Para já doou 10 ventiladores ao Hospital Senhora da Oliveira, em Guimarães

Vítor Magalhães, presidente do Moreirense, confirmou ao DN que doou 10 ventiladores ao Hospital Senhora da Oliveira, em Guimarães, para ajudar a combater a pandemia da covid-19. O empresário de 68 anos diz estar muito preocupado com a atual situação, garante que está disponível para continuar a ajudar e desafia outras pessoas a seguirem o seu exemplo. A notícia foi divulgada pelo jornal O Minho, e confirmada pelo próprio ao DN.

"Sim, confirmo que fiz essa doação. Esta ideia surgiu sensivelmente há 10 dias, quando falei com três médicos com responsabilidades do Hospital de Guimarães a perguntar como podia ajudar. Disseram-me que era importante terem mais ventiladores e eu disse-lhes para tratarem disso. Disse-lhes logo 'vejam se arranjam 10'. Foram os médicos que trataram de tudo. Sabíamos que nesta altura ia ser difícil arranjar, mas anteontem [segunda-feira] disseram-me que conseguiram 10 ventiladores através de duas empresas. Uma encomenda era para já e outra para daqui a quatro ou cinco dias. Se for preciso mais, posso continuar a ajudar", disse Vítor Magalhães ao DN. O investimento rondou os 230 mil euros.

O líder do clube de Moreira de Cónegos garante que não quer publicidade com este seu ato. Mas sim que esta sua doação possa abrir a consciência de outras pessoas para a necessidade de ajudarem os hospitais. "Acordámos todos tarde para esta realidade. E agora é preciso que quem possa ajude, sobretudo a nível da saúde. Os nossos hospitais não precisam só de ventiladores. Há outras coisas. É altura de nos unirmos e quem puder ajudar, que se chegue à frente porque assim poderemos salvar vidas. A saúde agora é a prioridade", referiu.

Para Vítor Magalhães, a prioridade atual é a saúde, por isso nesta altura deixa o futebol de lado. "O futebol é como qualquer outro setor da nossa sociedade, igual aos outros. Mas agora em primeiro lugar está a saúde. Depois vamos pensar na economia e nos outros problemas. Para já é a nossa saúde que está em primeiro lugar. Quanto ao futebol, depois veremos. Se tivermos de jogar à porta fechada, não teremos problemas. Agora é salvar vidas e ajudar como pudermos os profissionais de saúde."

Vítor Magalhães começou na indústria têxtil e gere atualmente um grupo com interesses diversificados que vão também do imobiliário à agricultura ou restauração. Fundou a primeira empresa - a Magalhães e Pereira - quando regressou da tropa em Moçambique, no pós-25 de abril. No seu vasto portfolio inclui-se a Petratex, que saltou para a ribalta mundial em 2008, quando desenhou para a Speedo o fato especial utilizado pelo nadador Michael Phelps nos Jogos Olímpicos. Tem fábricas em Portugal, Tunísia, Moçambique e Brasil e as suas empresas movimentam mais de 100 milhões de euros por ano.

Esta não é a primeira vez que o presidente do Moreirense faz doações de caráter social, tendo já realizado ofertas em conjunto com outros empresários para escolas em Moreira de Cónegos e na instalação de um laboratório de Hemodinâmia no Hospital Senhora da Oliveira, em Guimarães

Benfica e Sporting solidários

Na terça-feira o Benfica anunciou que o clube adquiriu três ventiladores, equipamento fundamental no tratamento dos casos mais graves de infeção causada pelo novo coronavírus, e que os vai ceder ao Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Através da Fundação Benfica, o clube divulgou que, em parceria com a GNR, vai prestar um "apoio social de emergência a cerca de 3 mil idosos isolados e já sinalizados ao abrigo do 'Programa Apoio 65 - Idosos em Segurança'", uma iniciativa do Ministério da Administração Interna e implementada pelos militares da GNR.

"Trata-se de uma decisão e medida implementada de forma atempada e que procura atuar, desde já, junto de um dos grupos de maior fragilidade a nível nacional e que, face ao contexto de pandemia associada ao novo coronavírus, ficará, naturalmente, mais exposto pela quebra de parte da sua rede de suporte que se perspetiva", considerou o Benfica, em comunicado.

O Sporting disponibilizou ao Governo o pavilhão João Rocha e o relvado sintético junto a este recinto, em Lisboa, para a instalação de hospitais de campanha, face à pandemia de Covid-19, confirmou fonte dos leões. A mesma fonte oficial do clube explicou ainda que o presidente do Sporting, Frederico Varandas, disponibilizou-se ao Governo para ajudar a combater a pandemia, assim como todos os elementos do departamento médico do clube, junto do secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG