Portugal é campeão do mundo de futebol de praia

A seleção nacional venceu neste domingo a Itália por 6-4 na final realizada no Paraguai. Foi o terceiro título mundial, o segundo já sob a alçada da FIFA. Leo (2), Jordan (3) e Lourenço marcaram os golos.

A seleção portuguesa de futebol de praia sagrou-se neste domingo campeã do mundo da modalidade, ao bater na final, realizada em Assunção, no Paraguai, a Itália por 6-4. Este foi o terceiro título mundial conquistado pelos portugueses, depois das taças ganhas em 2001 e 2015.

Portugal começou em desvantagem, com um golo de Zurlo. Mas Leo Martins (2), Jordan (3) e Lourenço deram a volta ao marcador e fixaram o resultado final em 6-4 (Andrade ainda defendeu um penálti), num jogo em que a seleção nacional foi sempre superior ao adversário e provou que continua a ser uma das melhores equipas a nível mundial.

Jordan, o melhor jogador do mundo, marcou em momentos-chave do encontro, aos 18, 26 e 35 minutos, num jogo em que a seleção das quinas chegou a liderar por 5-1. O ano de 2019 torna-se o melhor de sempre para a seleção lusa, que já havia sido campeã da Europa e conquistado a medalha de ouro nos II Jogos Europeus.

No final do jogo houve festa e lágrimas de alegria. Nas imagens televisivas foi possível ver Madjer, grande referência desta seleção, bastante emocionado, ele que aos 42 anos deverá ter participado pela última vez num Campeonato do Mundo da modalidade.

"Estou muito emocionado. Trabalhámos muito. Quem não viu não sabe o que trabalhámos para isto. Esta família é incrível. A gente merece. Mais do que uma equipa, somos uma verdadeira família, um grupo muito unido, jogamos muito há muitos anos. Merecemos este título", destacou no final Jordan, autor de três golo na final.

"O futebol de praia está a evoluir cada vez mais, muitas seleções fortes, todas se preparam. Fizemos uma preparação muito forte e acabámos um ano com a conquista máxima do desporto, o Campeonato do Mundo da FIFA. Agora é recarregar novamente baterias para festejar em família, que sem dúvida alguma está a vibrar connosco", acrescentou o melhor marcador de Portugal.

Rui Coimbra, jogador de Portugal, falou num "ano fantástico" e destacou que agora as expectativas são mais altas: "Foi isto que nos propusemos no início da época. Sabíamos que ia ser extremamente difícil. Trabalhámos muito e graças a Deus conseguimos este título para culminar esta época fantástica. Agora a fasquia está elevadíssima. Já somos muito exigentes com próprios, entramos em todos os jogos para ganhar. 2020 não vai fugir à regra. Agora somos campeões do mundo e isso vai ficar bem patente."

Selecionador vai cortar o bigode

Acabou assim em beleza mais uma trajetória da seleção que é orientada por Mário Narciso desde 2013. Na fase de grupos, Portugal terminou no segundo lugar, atrás do Brasil, depois de vitórias contra a Nigéria (10-1) e Omã (3-1) e uma derrota diante dos canarinhos (9-7).

Nos quartos-de-final, a seleção nacional afastou o Senegal (4-2) e nas meias-finais eliminou o Japão no desempate por penáltis, depois da igualdade a três golos durante o jogo. Neste domingo a vítima foi a Itália, que não teve qualquer hipótese perante o poderio português.

Agora, com o título no bolso, o selecionador nacional Mário Narciso vai ter de pagar a promessa feita aos jogadores de cortar o bigode, tal como confidenciou ao DN numa reportagem na edição do dia 2 de novembro.

"No Mundial 2015, os jogadores perguntaram-me se eu era capaz de cortar o bigode se fôssemos campeões do mundo e eu disse que era. Quando ganhámos o campeonato, os jogadores disseram para eu cortar o bigode, mas eu disse-lhes que só tinha dito que era capaz de o cortar. Agora disseram para cortar mesmo se ganharmos o Campeonato do Mundo deste ano e aí cortarei com toda a vontade", prometeu.

A última vez que Portugal tinha conquistado o título mundial remonta há quatro anos, quando a prova se disputou em Espinho, e já sob a alçada da FIFA. Na altura bateu a seleção do Taiti na final, por 5-3.

O primeiro título foi assegurado em 2001, na Costa do Sauípe, no estado da Bahia, Brasil, numa altura em que a competição não era organizada pela FIFA, com um triunfo por 9-3 diante da França na final.

Elinton Andrade, o melhor guarda-redes do mundial

O português Elinton Andrade foi considerado o melhor guarda-redes do Mundial de futebol de praia. Aos 40 anos o guardião foi assim distinguido individualmente, ele que foi decisivo nas meias finais ao defender duas grande penalidades do Japão.

Jordan Santos, que há cerca de um mês foi eleito o melhor jogador do mundo, e Bé Martins foram considerados os segundo e terceiro melhores atletas da competição, atrás do japonês Ozu Moreira.

O italiano Gabriele Gori foi o melhor marcador do torneio, com 16 golos.

Fernando Gomes fala em página de ouro e Marcelo dá parabéns

Desde que a equipa é orientada por Mário Narciso, que pegou na seleção em 2013, Portugal, além de dois títulos mundiais (2015 e 2019), foi campeão da Europa em 2015, vencedor da Taça da Europa de Futebol de Praia em 2016, vencedor do Mundialito de futebol de praia em 2014, vice-campeão da Europa em 2013, 2016 e 2017, vice-campeão da Taça Intercontinental de Futebol de Praia em 2017, vice-campeão do Mundialito em 2013, 2016 e 2017 e medalha de bronze nos primeiros Jogos Europeus em Baku (2015).

Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), felicitou os novos campeões do mundo através de uma mensagem deixada no site do organismo. "Felicito calorosamente a seleção nacional de futebol de praia, que hoje, no Paraguai, conquistou brilhantemente o título de campeã do mundo de futebol de praia com um triunfo por 6-4 na final diante da Itália. A equipa liderada por Mário Narciso voltou a dignificar superlativamente o desporto nacional e o próprio nome de Portugal", referiu.

"Neste dia de grande celebração, gostaria ainda de evidenciar o talento, a abnegação, a humildade, o espírito coletivo e a qualidade dos nossos jogadores. Através das vossas qualidades e do vosso sacrifício conseguiram construir mais uma página de ouro na história da vossa modalidade, do futebol português e da FPF", acrescentou o líder federativo.

Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, também fez questão de assinalar mais este feito da seleção nacional de futebol de praia. "Campeões do mundo pela terceira vez, depois das conquistas de 2001 e 2015, Portugal afirma-se cada vez mais nesta modalidade, para grande alegria e orgulho de todos os portugueses", podia ler-se na nota enviada pelo Chefe do Estado à agência Lusa.

Mais Notícias