Polícia britânica pede inquérito independente a operação de busca a atleta português Ricardo dos Santos

O atleta Ricardo dos Santos acusa as autoridades de racismo depois de ter sido interpelado e algemado pela polícia de Londres. ​​​​ Benfica​ repudiou a situação​. "Todas as formas de racismo são intoleráveis e este episódio é mais um exemplo, entre tantos que infelizmente ocorrem todos os dias", afirmou o clube.

A polícia britânica disse esta terça-feira ter pedido um inquérito independente à operação de revista ao automóvel onde seguia o atleta português Ricardo dos Santos, que atribuiu o incidente a racismo.

"Registámos este incidente como uma queixa pública. A decisão de se referir à IOPC foi tomada devido ao registo a uma queixa ter sido apresentada e ao significativo interesse público nesse assunto, e agradecemos o exame independente dos factos", referiu em comunicado.

O atleta, dos 400 metros, preparava-se para ir para casa, quando, devido ao trânsito e a cinco minutos do local, resolveu mudar o trajeto, com a mulher e o filho bebé no carro, num percurso que acabou em 'perseguição' pela polícia.

No momento em que parou o carro à porta de casa, Ricardo dos Santos e Bianca Williams foram obrigados a sair, num incidente em que o atleta português acusa a polícia de ter tirado os bastões e de o acusar de cheirar a canábis, antes de o algemar.

Segundo Bianca Williams, especialista dos 200 metros, Ricardo dos Santos já foi parado cerca de 15 vezes desde que adquiriu um carro de marca Mercedes.

"É sempre a mesma coisa com o Ricardo. Eles pensam que ele está a conduzir um carro roubado, ou que esteve a fumar canábis. É discriminação racial. A forma como falaram com o Ricardo, como se ele fosse ralé, tivesse feito alguma coisa mal, foi chocante", disse ao jornal Sunday Times.

A polícia disse que duas análises dos vídeos filmados pela polícia e por Williams concluíram que não houve conduta imprópria por parte dos agentes.

Benfica repudia ação da polícia

O Benfica lamentou e repudiou esta terça-feira o incidente que envolveu o atleta Ricardo dos Santos, que no sábado foi interpelado e algemado pela polícia de Londres, depois de ser mandado parar enquanto conduzia.

"Todas as formas de racismo são intoleráveis e este episódio é mais um exemplo, entre tantos que infelizmente ocorrem todos os dias, que reforça a necessidade de refletirmos, mudarmos e lutarmos por uma sociedade mais justa", refere o clube, através da sua newsletter diária.

O velocista, tal como o seu treinador, o antigo campeão olímpico e mundial Linford Christie, explicou que não é a primeira vez que é abordado pela polícia, desde que adquiriu um carro de gama superior, e disse que vai processar as autoridades, considerando serem atitudes racistas.

Hoje, o Benfica deixou a "manifestação de solidariedade" ao atleta, um dia depois de Ana Oliveira, diretora do Benfica Olímpico e ex-atleta também ter manifestado a sua indignação com o sucedido.

"Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra. Força", escreveu Ana Oliveira na rede social Instagram.

Ricardo dos Santos, que vive e treina em Londres, deverá regressar a Portugal no início de agosto para preparar e competir no nacional de atletismo de clubes.

Mais Notícias