Buscas da PJ na SAD de Benfica, Sporting e Santa Clara

Alguns clubes e SAD's estão a ser alvos de buscas no âmbito de diferentes processos judiciais

A Unidade de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária está a realizar buscas no Estádio da Luz e no clube açoriano Santa Clara, além de uma outra sociedade desportiva. A notícia, avançada pela revista Sábado e pela TVI, foi confirmada ao DN por fonte judicial.

Também a SAD do Sporting está a ser alvo de buscas judiciais, mas no âmbito de um processo diferente daquele que levou às buscas na Luz e nos Açores. Trata-se de um processo sobre alegados crimes de branqueamento de capitais, com negócios entre 2011 e 2014 sob investigação das autoridades, relacionados com a entrada da Holdimo, do banqueiro angolano Álvaro Sobrinho, no capital social da SAD leonina.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) já confirmou em comunicado a existência de buscas relacionadas com o fenómeno desportivo, "em vários locais do país" e "com a participação de magistrados do Ministério Público e dos tribunais de Instrução Criminal, inclusive, o Central e elementos da Polícia Judiciária e da Autoridade Tributária."

Segundo a nota da PGR, estão em curso "29 buscas", no âmbito de "investigações dirigidas pelo Ministério Público do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP)".

Das 29 buscas, oito são domiciliárias; uma a uma fundação; seis delas a instalações de três sociedades desportivas; nove a outros tipos de sociedade; três a dois clubes desportivos; e outras duas a dois escritórios de advogados.

A PGR esclarece que "nos inquéritos investigam-se factos suscetíveis de integrarem crimes de participação económica em negócio ou recebimento indevido de vantagem, corrupção ativa e passiva no fenómeno desportivo, fraude fiscal qualificada e branqueamento."

Estão em causa, acrescenta a nota da Procuradoria-Geral da República, "negócios de diversa natureza, todos relacionados com o futebol profissional e relativos, nomeadamente, a contratos de parceria de cooperação financeiro-desportiva e respetivos aditamentos bem como a acordos de alteração de contrato de parceria."

"Investigam-se ainda a aquisição dos direitos desportivos e económicos dos jogadores por parte de clubes nacionais de futebol, empréstimos concedidos a um destes clubes e a uma sociedade desportiva por um cidadão de Singapura com interesses em sociedades sediadas nas Ilhas Virgens Britânicas e a utilização das contas do mesmo clube e de outro, para a circulação de dinheiro."

De acordo com a TVI, Luís Filipe Vieira, presidente do Benfica, é um dos principais visados desta operação, liderada pelo juiz Carlos Alexandre, sob suspeita de crimes como corrupção desportiva. Outro dos suspeitos é Paulo Gonçalves, antigo braço direito de Vieira, que saiu do Benfica quando foi acusado no processo "E-toupeira" mas continua a fazer negócios com o clube.

A revista Sábado acrescenta que a operação conjunta de buscas do Ministério Público (MP), Polícia Judiciária (PJ) e Autoridade Tributária (AT) se estende também ao clube açoriano Santa Clara e visa negócios relacionados com três jogadores líbios: o extremo esquerdo Hamdou Elhouni; o médio defensivo Mohamed Al-Gadi; e o médio ofensivo Muaid Salem Ali, mais conhecido como Muaid Ellafi. AO DN, fonte judicial confirmou que uma boa parte das buscas em curso decorrem nos Açores.

Benfica e Sporting disponíveis para "cooperar com as autoridades"

A SAD do Benfica confirmou as buscas às suas instalações, mostrando-se totalmente disponível para colaborar com as autoridades para esclarecer as questões do processo em causa.

"A Sport Lisboa e Benfica -- Futebol, SAD confirma a realização de buscas às suas instalações. A Benfica SAD manifesta, como sempre, a sua total disponibilidade para colaborar com as autoridades no esclarecimento das questões suscitadas no âmbito da diligência em curso", lê-se num curto comunicado das águias.

Fontes de Benfica e Santa Clara já tinham confirmado terem sido alvo de buscas, no âmbito de uma investigação relacionada com negócios no futebol, assim como a SAD do Sporting.

"A Sporting Clube de Portugal -- Futebol, SAD confirma a realização de buscas por parte da Polícia Judiciária às suas instalações. Em causa um alegado crime de branqueamento de capitais referente ao período de 2011 a 2014. A Sporting Clube de Portugal -- Futebol, SAD disponibiliza-se para colaborar com as autoridades para o esclarecimento de todo este processo", lê-se num comunicado da SAD leonina.

atualizado às 16.05

Mais Notícias

Outras Notícias GMG