Piloto Max Verstappen vai ter de cumprir dois dias de trabalho comunitário por agressão

Holandês empurrou o francês Esteban Ocon no final do Grande Prémio do Brasil em fórmula 1, em que os dois tiveram um acidente em pista. Federação puniu Verstappen

O piloto holandês Max Verstappen foi este domingo sancionado com dois dias de trabalho comunitário pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA), como castigo pelo empurrão que deu ao francês Esteban Ocon no final do Grade Prémio do Brasil em fórmula 1.

Durante a prova, o Red Bull do holandês e o Force India de Ocon estiveram envolvidos num acidente à 45ª volta, quando Verstappen liderava a corrida. Ao tocar no carro do francês, o RedBull fez um pião e Verstappen perdeu a liderança da prova.

O confronto pós-prova entre os dois pilotos foi captado pelas televisões e a FIA decidiu aplicar uma sanção ao Max Verstappen. São dois dias de serviço comunitário, em local ainda a designar. O castigo é ainda passível de recurso.

"Os comissários reviram provas em vídeo das câmaras de segurança da FIA e ouviram o piloto do carro 33 (Verstappen) e o piloto do carro 31 (Ocon) e os representantes das equipas. O piloto Max Verstappen entrou na garagem de pesagem da FIA, dirigindo-se ao piloto Esteban Ocon e, após algumas palavras, iniciou uma luta, empurrando ou batendo em Ocon com força várias vezes no peito", lê-se no comunicado da FIA.

Os dois pilotos foram ouvidos e, apesar da justificações do holandês, os comissários consideraram que não foi um bom desportista e aplicaram a sanção.

O Grande Prémio do Brasil deste domingo foi ganho por Lewis Hamilton, que já garantiu o título de campeão mundial este ano e com esta vitória deu à sua equipa, a Mercedes, o título mundial de construtores.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG