Palmeiras ainda não sofreu golos com Scolari ao leme. E já lá vão sete jogos

Treinador brasileiro está pela terceira vez à frente da equipa paulista, depois de três anos na China e de ter sido associado ao Sporting

Luiz Felipe Scolari esteve na calha para substituir Jorge Jesus no Sporting. Recusou, mas acabou por ser contratado por um outro clube que veste de verde, o Palmeiras, que já tinha orientado entre 1997 e 2000 e entre 2010 e 2012.

O antigo selecionador nacional, 69 anos, regressou ao Brasil após conquistar o tricampeonato chinês ao leme do Guangzhou Evergrande e vai mostrando ao leme do verdão que ainda pode ter sucesso no seu país. Ao cabo dos primeiros sete jogos oficiais, ainda não sofreu golos, subiu aos quatro primeiros classificados do campeonato brasileiro, está nas meias-finais da Taça do Brasil e tem um pé nos quartos de final da Libertadores, após vitória no Paraguai sobre o Cerro Porteño (2-0).

Este domingo, empatou a zero no terreno do vice-líder Internacional de Porto Alegre, para a 21.ª jornada do Brasileirão, e destacou a consistência defensiva da equipa. "Tem uma solidez defensiva, tem um trabalho de equipa que faz com que nosso sistema defensivo seja um pouco menos acionado do que vinha sendo. O trabalho do pessoal é muito bom durante a semana. Vamos ver se a gente mantém isso contra o Cerro", afirmou, já a apontar à partida da madrugada de sexta-feira (01.45 de Lisboa), da segudna mão dos oitavos de final da Libertadores.

"O principal motivo [do registo defensivo] é que os jogadores entenderam como trabalhamos, como realizamos os treinos e adaptaram-se ao que queremos. E a possibilidade de eles entenderem que jogando assim temos grandes possibilidades, melhores do que oportunizando muito mais chances ao adversário, ou nós criando muito mais, mas sofrendo uma série de golos como vinhamos sofrendo. É um conjunto de fatores, mas principalmente eles entenderam, trabalham, dedicam-se e ouvem com atenção aquilo que a gente passa no dia-a-dia e nos jogos", explicou.

Com contrato válido até 2020, Felipão tem como adjuntos Flávio Teixeira (Murtosa), Carlos Pracidelli e Paulo Turra (ex-jogador do Boavista e V. Guimarães).

Nas duas anteriores passagens pelo Palmeiras, Scolari conquistou cinco títulos: Libertadores (1999), duas edições da Taça do Brasil (1998 e 2012), Copa Mercosul (1998) e o Torneio Rio-São Paulo (2000).

Jogos de Scolari à frente do Palmeiras

05.08.2018: 0-0 com América Mineiro (fora), 17.ª jornada do Brasileirão

09.08.2018: 2-0 com Cerro Porteño (fora), 1.º mão dos oitavos de final da Libertadores

12.08.2018: 1-0 com Vasco da Gama (casa), 18.ª jornada do Brasileirão

16.08.2018: 1-0 com Bahia (casa), 2.ª mão dos quartos de final da Taça do Brasil

19.08.2018: 3-0 com Vitória (fora), 19.ª jornada do Brasileirão

22.08.2018: 2-0 com Botafogo (casa), 20.ª jornada do Brasileirão

26.08.2018: 0-0 com Internacional (fora), 21.ª jornada do Brasileirão

Mais Notícias

Outras Notícias GMG