Os jogadores lesionados que festejaram o adiamento do Euro 2020

O português Ricardo Pereira vê renascer a esperança de estar no Campeonato da Europa, depois de uma lesão lhe ter tirado essa possibilidade. Eden Hazard, Rashford e Harry Kane são as estrelas que tinham a presença na fase final em risco.

O adiamento do Euro 2020 para o próximo ano devido à pandemia de coronavírus pode ser considerado um pesadelo para o mundo do futebol, mas para alguns jogadores foi uma excelente notícia, uma vez que tinham a presença no Campeonato da Europa em risco por estarem a recuperar de lesões.

Um desses casos é o português Ricardo Pereira, que sofreu uma rotura dos ligamentos num joelho que o iria obrigar a pelo menos quatro meses de paragem. Uma lesão grave, sofrida num jogo com o Aston Villa, que o tirou automaticamente das opções do selecionador Fernando Santos para o Euro 2020. O adiamento decretado esta terça-feira pela UEFA vai permitir ao defesa do Leicester, de 26 anos, recuperar e reentrar nas contas da equipa das quinas.

A seleção que provavelmente irá beneficiar mais com este adiamento é a Inglaterra, que iria enfrentar os jogos do grupo D, com a Croácia e a Rep. Checa, sem dois dos seus principais avançados. Desde logo, Harry Kane que sofreu uma lesão num tendão da perna esquerda em janeiro, que o obrigava uma paragem de três meses. A recuperação total do goleador do Tottenham a tempo de disputar a fase final era possível, mas não se sabia se o sexto melhor marcador de sempre da seleção inglesa (31 golos) iria apresentar-se na sua melhor forma.

Em pior situação estava Marcus Rashford, que já sabia que não voltaria a jogar mais esta época pelo Manchester United devido a uma lesão nas costas, razão pela qual a presença no Euro 2020 era uma miragem. O adiamento do torneio acaba por ser um alívio para o selecionador Gareth Southgate, pois poderá no próximo ano voltar a contar com os dois avançados.

Eden Hazard, uma alegria em época para esquecer

Uma das grandes estrelas que tinha o Europeu em risco era o belga Eden Hazard, que no início do mês foi mesmo operado, em Dallas, nos Estados Unidos, a uma fratura na fíbula do tornozelo direito. O tempo estimado de recuperação era de três meses, o que representava um fim de uma primeira época no Real Madrid para esquecer. A estrela da seleção belga tinha ainda a esperança de recuperar a tempo da fase final, mas mesmo que o conseguisse, o mais certo era não se apresentar nas melhores condições. Assim, o médio ofensivo de 29 anos tem uma nova oportunidade de entrar nas contas do selecionador Roberto Martínez.

A Holanda, treinada por Ronald Koeman, foi outra das seleções que terá recebido com felicidade este adiamento do Europeu, uma vez que não iria contar com duas das suas principais estrelas, os avançados Memphis Depay (Lyon) e Steven Bergwijn (Tottenham).

Para Depay, de 26 aos, era um autêntico pesadelo, depois de a seleção laranja ter falhado o Euro 2016, estava agora fora do Euro 2020 devido a uma rotura do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, que o tirava dos relvados por quatro meses, enquanto Bergwijn, contratado em janeiro por José Mourinho, estava com a época em risco, segundo o treinador português, devido a uma entorse no tornozelo esquerdo.

Entre os adversários de Portugal no grupo E do Euro 2020, a Alemanha era a mais penalizada, uma vez que o selecionador Joachim Löw não podia contar com o defesa-central Nicklas Süle (Bayern Munique) e o avançado Kevin Volland (Bayer Leverkusen). Já a França tinha em Ousmane Dembélé a principal dor de cabeça, após uma época para esquecer do extremo do Barcelona, que quase não jogou devido a sucessivas lesões.

O renascer do sonho do menino italiano

Quem também vai ter uma nova oportunidade é o avançado espanhol Marco Asensio, do Real Madrid, que não fez qualquer jogo oficial esta temporada por se ter lesionado gravemente joelho esquerdo - rotura do ligamento cruzado anterior e do menisco externo. A participação no Europeu era praticamente impossível, mas terá agora a possibilidade de recuperar e, provavelmente, estar ao melhor nível para reentrar nas contas do selecionador espanhol, Luis Enrique.

Já o jovem italiano Nicolò Zaniolo, de 20 anos, tinha tudo para se estrear numa grande competição de seleções no Euro 2020. Contudo, o extremo da Roma, de Paulo Fonseca, sofreu uma grave lesão no joelho direito, tendo sido operado no início do ano. A estimativa era uma paragem entre quatro a seis meses. Em 2021 poderá, afinal, ser um ano de sonho para uma das grandes promessas da seleção de Itália.

Finalmente, a Turquia que em janeiro perdeu o defesa-central Merih Demiral precisamente no jogo em que se estreou a marcar pela Juventus em janeiro. O jogador de 21 anos, que passou pela equipa B do Sporting, sofreu uma lesão do ligamento cruzado anterior, afetando o menisco, e estava fora da seleção turca, tal como o avançado Cenk Tosun, de 28 anos, que contraiu um problema semelhante num treino do Everton e teve também de ser operado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG