Chegou Ronaldo. O mundo em Turim para ver CR7

Milhares de adeptos, centenas de jornalistas, polícias, bombeiros e voluntários da Cruz Vermelha. Ronaldo está na clínica da Juve e a loucura está instalada em Turim

A capital mundial do futebol muda-se de Moscovo para Turim. Domingo foi dia de França, que nesta segunda-feira também terá o seu banho de multidão no regresso a casa com o troféu de campeão do mundo. Já no norte de Itália estarão mais de duzentos jornalistas de todo o globo, centenas de polícias, bombeiros e voluntários da Cruz Vermelha. E dezenas de milhares de adeptos à espera de Cristiano Ronaldo.

Logo de manhã, à porta da clínica onde Ronaldo vai fazer testes médicos, centenas de adeptos aguardavam a chegada do jogador português, que foi recebido assim:

A Juventus esconde os planos para o Ronaldo-Day, jogando mesmo na contrainformação - anunciou a chegada do melhor futebolista do mundo para a manhã desta segunda-feira, por volta das 09.30, mas o ex-jogador do Real Madrid aterrou em Caselle, no domingo, pouco depois das 16.30.

O dia de CR7 no começo de uma nova etapa da carreira arranca no Complexo de Continassa, local onde estão alojadas as infraestruturas da Juventus, da clínica ao estádio, do centro de treinos à loja do clube, que tem sido invadida pelos adeptos para comprarem a camisola número sete. Era de Cuadrado, mas rapidamente os adeptos a deram ao seu dono, Ronaldo, que dias depois viu o colombiano oferecer-lhe o número publicamente.

Uma corrida sem paralelo que também se verifica na outra loja, no centro de Turim, e na loja online, que bloqueou com o fluxo quando se confirmou a contratação. Segundo números fornecidos pelo clube, entre vendas e encomendas pagas, já foram vendidas 500 mil camisolas da Juve com o número sete e o nome Ronaldo. O que perfaz uma mais-valia de 54 milhões de euros, cerca de metade do que o clube italiano pagou ao Real Madrid pelo passe do português, que em Turim vai ganhar 30 milhões de euros/época até 2022.

Como será o Ronaldo-Day?

Às 10.00 (mais uma em Itália), Ronaldo efetuará os exames médicos para confirmar a condição física, na JMedical, clínica do heptacampeão italiano em Continassa. Às 15.00, o jogador terá direito a uma visita guiada ao mundo da vecchia signora, pelo presidente Andrea Agnelli. Tudo dentro da privacidade do centro de treinos do clube de Turim. Às 17.30, finalmente, a primeira comunicação pessoal de Cristiano Ronaldo com o mundo Juventus. Ainda assim, filtrada pelos jornalistas numa conferência de apresentação, no salão nobre que homenageia Gianni e Umberto Agnelli.

E a conferência de imprensa terá lugar neste salão porque a sala de imprensa habitual é pequena para a estrela portuguesa. "Vamos ter mais de 200 jornalistas. Da América, muitos, muitos, muitos de Espanha, de Portugal, da França, de Inglaterra, da Sérvia, da Polónia e de muitos outros países", contou ao DN o departamento de comunicação da Juventus.

Lá fora, desde manhã cedo, estarão milhares de adeptos bianconeri. A previsão é da ordem das dezenas de milhares, mas com Cristiano Ronaldo é bom ser cauteloso. Afinal de contas, há nove anos meteu 95 mil pessoas no Santiago Bernabéu quando foi apresentado pelo Real Madrid.

Apresentação sem festa

Primeiro a vecchia signora fez circular que a ocasião, leia-se apresentação do melhor do mundo, merecia um evento hollywoodesco, mas depois comunicou que Ronaldo seria apresentado como outro reforço qualquer. E, ao que o DN apurou, foi Cristiano Ronaldo que assim o quis. Não por falta de modéstia, mas por respeito a ambos os clubes, o Real e a Juve. A saída do Bernabéu não foi como esperava, em festa, e por isso o capitão da seleção nacional não quis ser apresentado à porta aberta.

Além disso e apesar do estatuto de melhor do mundo, o português preferiu ser discreto e evitar que o seu novo clube sofresse comparações e dessa forma ficasse diminuído. Isto porque CR7 foi apresentado em estádio aberto em Madrid, com 95 mil entusiastas adeptos nas bancadas, algo que a apresentação no Allianz Stadium jamais poderia superar, visto ser um estádio com muito menor capacidade.

A verdade é que os números falam por si e Cristiano deixou o Bernabéu como máximo goleador da história do Real (451 golos em 438 jogos), além dos 16 troféus conquistados.

Treinos e jogo com o Real Madrid

Depois, falta saber quando começa a treinar. A receção do plantel será calorosa. Se, publicamente, vários jogadores têm dito que é uma enorme mais-valia, em contactos informais assumem mesmo que "é uma honra" poderem contar com um dos melhores futebolistas da história do jogo. Acima de tudo, porque traz um extra de ambição a um clube que persegue loucamente a Champions League, troféu que CR7 já venceu cinco vezes em 11 anos, três nas últimas quatro temporadas.

Agora, quer conquistar a orelhuda por três clubes diferentes, depois de Manchester United (2007-08) e Real Madrid (2013-14, 2015-16, 2016-17 e 2017-18), igualando assim o feito de Clarence Seedorf, até agora o único a consegui-lo.

Entretanto, Ronaldo e a família devem ainda aproveitar para ir ver a mansão na Colina de Mandria, um bairro no centro de Turim que foi acolhendo todas as estrelas da Juventus nos últimos anos.

Se passar pelo centro da cidade, poderá ver cerca de cinco mil estabelecimentos comerciais com fotos suas envergando a camisola da Juventus e um muito português "bem-vindo". E o primeiro jogo até pode ser com o Real Madrid, a 4 de agosto (poderá servir de jogo de homenagem), para a International Champions Cup.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG