Mourinho já deixou 242 milhões de euros nos cofres dos clubes portugueses

No total foram 14 jogadores contratados pelo Special One a clubes portugueses. Paulo Ferreira e Ricardo Carvalho foram os primeiros em 2004. Gedson Fernandes o último nesta quarta-feira.

José Mourinho é um treinador atento ao talento português e ao da I Liga. Desde que em 2004 deixou o FC Porto para treinar o Chelsea, o agora técnico do Tottenham veio buscar 14 jogadores ao futebol português - o último foi o benfiquista Gedson Fernandes, negócio oficializado nesta quarta-feira, um empréstimo de um ano e meio a troco de 4,5 milhões de euros.

Ao todo (e segundo valores do site transfermarkt), o Special One deixou 242 milhões de euros nos cofres dos clubes portugueses, mais concretamente nas contas do FC Porto e do Benfica. Curiosamente, em 16 anos e cinco clubes diferentes, nunca fez contratações ao Sporting. A única ligação a Alvalade resume-se ao empréstimo do central Pedro Mendes quando estava no Real Madrid.

Esta tendência começou em 2004, ano em que José Mourinho deixou o Dragão, depois de vencer a Liga dos Campeões, e se mudou para Stamford Bridge. Com ele resolveu levar dois jogadores que o ajudaram a chegar ao topo da Europa com o FC Porto, o central Ricardo Carvalho (30 milhões) e o lateral direito Paulo Ferreira (20 milhões). E já depois do Euro 2004 contratou o médio Tiago ao Benfica por 12 milhões e Nuno Morais, jogador que tinha finalizado contrato com o Penafiel e se mudou para Londres a custo zero.

Seguiram-se, o guarda-redes Hilário, em 2006-07, que na altura estava no Nacional e aceitou mudar-se para o Chelsea a custo zero, e Ricardo Quaresma, adquirido pelo Inter de Milão ao FC Porto, em 2008-09, por 24, 6 milhões.

Depois, Mourinho virou atenções para o Benfica. Angel Di María, em 2010-11, trocou as águias pelo Real Madrid, por 33 milhões, e Fábio Coentrão, na época seguinte, também se transferiu para o clube espanhol, por 30 milhões.

Enquanto estava no Santiago Bernabéu, o técnico português fez o único negócio com os leões até hoje. Levou Pedro Mendes por empréstimo, mas nem ele nem o central aguentaram muito tempo em Madrid.

Mourinho mudou de clube mais uma vez e dois anos depois, na segunda segunda passagem pelo Chelsea, voltou a pescar no Dragão (contratou Christian Atsu ao FC Porto por três milhões de euros em 2013) e na Luz (em 2014 Matic mudou-se para Londres a troco de 25 milhões). O regresso aos blues durou pouco e seguiu-se o Manchester United , onde voltou a privilegiar o Benfica. Em 2017 contratou o central sueco Lindelöf, por 35 milhões de euros.

Em 2018 voltou voltou a virar atenções para o Dragão para investir em Diogo Dalot. O treinador de Setúbal desfez-se em elogios ao jovem português, que lhe custou 22 milhões de euros, para ser o "lateral direito dos próximos dez anos" do Manchester United. Quem não ficou em Old trafford para ver a ascensão do português foi o técnico que acabou por sair pouco depois.

Em novembro de 2019, Mourinho assinou pelo Tottenham e agora, depois de desmentir o interesse no leão Bruno Fernandes, virou-se novamente para o Benfica. E o novo alvo foi oficializado nesta quarta-feira, com Gedson Fernandes a mudar-se para o clube londrino, um empréstimo de um ano e meio (com opção de compra a rondar os 50 milhões) que vai render ao clube da Luz 4,5 milhões de euros.

Contas feitas, Mourinho contratou um total de 14 jogadores no futebol português, sendo que apenas três não tiveram custos (Nuno Morais, Pedro Mendes e Hilário). Os restantes 11 custaram 242 milhões de euros. A maior fatia entrou nos cofres do Benfica (142,4 milhões de euros). O FC Porto embolsou 99,6 milhões... mas este valor ainda pode aumentar, já que o avançado Zé Luís pode também rumar ao Tottenham, num negócio semelhante ao de Gedson Fernandes (empréstimo com opção de compra).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG