Marega falha, Marega cria, Marega marca

FC Porto ganha 2-0 ao Marítimo nos Barreiros com resultado bem mais confortável do que o desempenho em 70 minutos. Maliano falhou penálti, mas inventou o golo inaugural e fez o segundo, deixando o FC Porto isolado na liderança

O quinto golo de Marega em nove jornadas custou frustração, fantasia e, depois, um simples toque. Tornou-se fácil, fácil, fácil. Como o jogo para o FC Porto, incapaz de furar o bloco de cimento defensivo do Marítimo por 65 + 5 minutos, o maliano teve de penar muito para festejar. E tudo aconteceu em cinco minutos.

Na antecâmara da frustração para a felicidade, Sérgio Conceição lançou Otávio (67'). Dois minutos depois de Marega não conseguir definir bem o remate no penálti que parecia, afinal, a porta para abrir um jogo fechado a cadeado pelo rigor e intensidade defensivos do Marítimo.

E, de repente, tudo se precipitou. Se até aí, aos 70', o Marítimo ia mantendo o campeão nacional aparentemente longe do triunfo, em três minutos Marega redimiu-se da ineficácia na oportunidade de ouro (Amir acertou no lado da bola, mas esta ia pouco puxada ao canto). Primeiro, o avançado inventou o golo inaugural com um toque de fantasia (calcanhar) que desposicionou a defesa do Marítimo e que Otávio não desperdiçou, após a única jogada de envolvimento bem conseguida pelos dragões. O brasileiro pôde fazer uma diagonal triunfante, que concluiu com um remate muito colocado junto ao poste esquerdo.

Finalmente, num contra-ataque mortífero conduzido por Óliver, com a equipa do Marítimo perdida numa incursão ao meio campo contrário, o brasileiro retribuiu e deu o 2-0 ao melhor marcador do campeão nacional. Marega marcou quatro golos nos últimos cinco jogos. E já leva cinco golos na temporada.

Este número é, pelo menos, um bom augúrio para a equipa de Sérgio Conceição. Na época transata, o avançado somava cinco golos ao cabo de 11 jogos - tal como esta época. E há outro número animador: Otávio chegou aos três golos que marcara em 2017/2018 (embora também tenha tido esse registo na temporada anterior, em que o título foi para o rival Benfica).

Tudo espremido, valeu por aqueles dez minutos alucinantes, com um penálti, dois golos e mais uma ou outra ocasião de perigo. Mas Sérgio Conceição vai seguramente concentrar-se mais nos restantes 65 minutos. O Marítimo defendeu muito e bem, é certo, mas essa é a realidade dominante para equipas que querem ser campeãs. Enfrentar blocos de cimento que têm de perfurar com inteligência, intensidade, criatividade e criação de espaços. Tudo o que os dragões não tiveram demasiado tempo.

Ao fim do dia, o FC Porto é líder isolado da I Liga, graças a duas vitórias numa série de cinco jogos vitoriosos após a derrota na Luz, com o Benfica - nos antípodas do Marítimo, que leva oito jogos sem ganhar. Para já, sozinho: o Sp. Braga pode juntar-se-lhe este domingo, se bater o V. Setúbal em casa a partir das 20.00. E com o rival da Luz já quatro pontos atrás.

A figura do jogo: Marega

Marega, Marega, Marega. Esteve muito apagado durante quase todo o jogo, facto negativamente sublinhado ao falhar um penálti aos 65'. Mas foi da criatividade e fantasia do maliano que saiu o melhor lance coletivo do FC Porto, com um toque de calcanhar a abrir o caminho para o golo de Otávio (entrara três minutos antes). Apenas cinco minutos depois da frustração de desperdiçar uma oportunidade de ouro num jogo tão fechado, o que revela força mental. Foi recompensado três minutos depois. Óliver galgou o meio campo adversário sem oposição, serviu Otávio e este deu para o golo fácil do melhor marcador do FC Porto. E da I Liga, embora Nani (o Sporting desloca-se este domingo, às 17.30, a casa do Santa Clara) e Dyego Sousa (Braga recebe este domingo o V. Setúbal) tenham o mesmo registo, mas um jogo para poder descolar.

Ficha do jogo

Jogo no Estádio do Marítimo.

Marítimo 0-2 FC Porto.
Ao intervalo: 0-0.

Marcadores:
0-1, Otávio, 70'.
0-2, Marega, 73'.

Equipas:
Marítimo: Amir, Bebeto, Marcão, Zainadine, Lucas Áfrico (Correa, 74'), Fábio China, Vukovic, Jean Cléber, Fabrício (Ricardo Valente, 80'), Danny e Tagueu (Rodrigo Pinho, 90').

Treinador: Cláudio Braga.

FC Porto: Casillas, Maxi Pereira (Otávio, 67'), Felipe, Éder Militão, Alex Telles, Danilo Pereira, Óliver, Jesus Corona, Brahimi (Mbemba, 79'), Marega e Soares (Herrera, 74').

Treinador: Sérgio Conceição.

Árbitro: Carlos Xistra (AF Castelo Branco).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Jean Cléber (2'), Lucas Áfrico (26'), Danilo Pereira (29'), Marega (52'), Zainadine (59') e Danny (64'). Cartão vermelho direto para Danny (82').

Assistência: Cerca de 10.000 espetadores.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG