Madrid em alerta: 5000 elementos de segurança no River-Boca

Final da Libertadores entre o River Plate e o Boca Juniors vai jogar-se este domingo no Estádio Santiago Bernabéu. Rivalidade entre os adeptos dos dois clubes, que levou ao adiamento da partida, é a grande preocupação das autoridades espanholas.

A segunda mão da final da Taça Libertadores entre o River Plate e o Boca Juniors, que se realiza domingo no Estádio Santiago Bernabéu, em Madrid, vai obrigar a polícia espanhola a montar um dos maiores dispositivos de segurança de que há memória na história do futebol.

De acordo com Serafín Giraldo, porta-voz da polícia espanhola, citado pela imprensa do país vizinho, trata-se de "um jogo de risco muito elevado onde existe uma grande probabilidade de que haja incidentes, por isso o protocolo de segurança vai ser diferente do habitual".

Nesse sentido, prosseguiu, vão estar entre "4.000 a 5.000 elementos destacados" para o jogo, entre polícias e elementos de segurança privada. "Há cerca de 2000 polícias nacionais, mais de mil locais que vão estar mais direcionados para questões relacionadas com o trânsito e depois teremos ainda segurança privada e outro tipo de operacionais."

Para que tudo decorra dentro da normalidade, já foi pedida informação à polícia argentina sobre o números de pessoas que vão viajar até Madrid, o número de voos e qual o grau de ameaça dos adeptos que se vão deslocar até Espanha. "Os adeptos das duas equipas vão estar separados em duas zonas da cidade e serão escoltados até ao estádio para diminuir o risco de incidentes. A julgar pelas imagens que nos chegaram, os hinchas argentinos são mais violentos do que espanhóis. Mas estamos habituados a lidar com adeptos russos e da Europa do Leste, que também são extremamente violentos e organizados."

O jogo da segunda mão da final da libertadores tem sido sucessivamente adiado. Depois do ataque ao autocarro à chegada ao estádio Monumental, em Buenos Aires, de que resultaram ferimentos em vários jogadores, o encontro foi adiado para 25 de novembro, mas o Boca Juniors considerou que a sua equipa não tinha condições para jogar no dia seguinte, e os dois clubes acordaram que o jogo fosse reagendado para outra data. E a Conmebol decidiu que seria jogado no exterior, elegendo o Estádio Santiago Bernabéu, casa do Real Madrid.

Vários jogadores do Boca ficaram feridos, por serem sido atingidos por vidros ou devido ao uso de gás lacrimogéneo por parte da polícia, com o capitão Pablo Pérez a ter de ser assistido no hospital, antes de regressar ao estádio, com uma pala a proteger o olho esquerdo.

No encontro da primeira mão, disputado a 10 de novembro, no estádio La Bombonera, casa do Boca Juniors, registou-se em empate 2-2. Esse jogo também se realizou um dia depois do previsto, devido às chuvadas que inviabilizaram a utilização do relvado.

Mais Notícias