Lyon bate Manchester City e completa meias-finais franco-alemãs

Meias-finais da Liga dos Campeões franco-alemães: Leipzig - Paris Saint-Germain e Lyon - Bayern Munique

Moussa Dembélé saiu este sábado do banco para marcar os dois golos decisivos da vitória do Lyon sobre o Manchester City, por 3-1, e qualificar os franceses para as meias-finais da Liga dos Campeões de futebol.

Quando o avançado foi lançado pelo técnico Rudi Garcia, aos 75 minutos, eram os nomes de Maxwel Cornet e Kevin de Bruyne que constavam do quadro de marcadores do Estádio José Alvalade, com tentos aos 24 e 69, respetivamente, que indicavam um empate 1-1.

No entanto, Dembélé necessitou de apenas quatro minutos para recolocar o Lyon em vantagem, aos 79, antes de bisar, aos 87, e assegurar a vitória do conjunto francês, que não atingia as meias-finais há uma década, desde 2009/10.

O Lyon vai agora encontrar o Bayern de Munique - que na sexta-feira demoliu o FC Barcelona (8-2) - numas meias que serão uma autêntica cimeira franco-germânica, já que no outro jogo estarão em confronto Paris Saint-Germain e Leipzig.

Já o Manchester City continua sem conseguir capitalizar na Europa os muitos milhões investidos no plantel ao longo dos últimos anos, caindo pelo terceiro ano seguido nos quartos-de-final da principal competição europeia de clubes. "Um dia vamos quebrar esta maldição de cairmos nos quartos. Temos de ser perfeitos nestas competições de um jogo e não fomos", assegurou Guardiola após o encontro.

Os citizens, com João Cancelo no flanco esquerdo e Bernardo Silva sem sair do banco, forçaram a maioria das jogadas pelo lado do lateral luso, sobretudo através de iniciativas do rapidíssimo Raheem Sterling, que logo nos instantes iniciais desbravou caminho para o golo, mas viu Marçal intercetar o passe decisivo para Gabriel Jesus.

Depois do corte providencial, o antigo lateral de Benfica e Nacional também surgiu na frente, a testar a atenção de Ederson, confirmando, aos poucos, a superioridade do Lyon, assente nas combinações entre Depay, Cornet e Toko-Ekambi, e na capacidade de gestão de Aouar.

Mais desenvoltos, os franceses chegaram mesmo ao golo, aproveitando o espaço nas costas da defensiva do City. O central Eric Garcia venceu o duelo com o poderoso Toko-Ekambi, só que deixou a bola nos pés de Cornet, que apanhou Ederson a meio caminho e atirou para a baliza dos ingleses.

O Lyon agarrou-se logo à vantagem, baixou as linhas e, até ao intervalo, contou com a segurança de Anthony Lopes no último reduto, desde a oposição afirmativa aos livres de Kevin de Bruyne, até à crucial mancha que evitou o golo de Sterling.

Neste confronto particular com De Bruyne, Anthony Lopes continuava a levar a melhor, como aconteceu à passagem da hora de jogo, em mais uma falta batida por De Bruyne. Contudo, Anthony Lopes acabou mesmo por ceder neste duelo, quando Sterling trocou as voltas a Denayer e assistiu o internacional belga para o empate.

Mesmo encostado às cordas, sobretudo desde que Guardiola lançou Mahrez em campo, o Lyon teve forças para responder de imediato, mas num lance muito duvidoso, que permitiu a Moussa Dembélé ficar na cara de Ederson e fazer o segundo tento dos franceses.

A baliza em que Bryan Ruiz falhou, em 2016, um golo feito ao serviço do Sporting, num dérbi com o Benfica, revelou-se igualmente inimiga de Sterling, que desperdiçou, da mesma forma que o costa-riquenho, um golo inacreditável que daria o empate ao Manchester City.

O lamento do extremo ganhou proporções ainda maiores, já que, na jogada imediatamente a seguir, Moussa Dembélé bisou e sentenciou a passagem do Lyon às meias-finais, num lance em que Ederson fica mal na fotografia, ao não segurar o remate de Aouar.

"Mais um ano, o mesmo desfecho. Precisamos de aprender, o que fazemos não é bom o suficiente", lamentou o médio belga do Manchester City, Kevin De Bruyne.

Terceira e quarta meias-finais entre franceses e alemães

Nas meias-finais, o Lyon, que defrontou o Benfica na fase de grupos, vai voltar a defrontar o Bayern Munique, como tinha acontecido na sua única presença nas meias-finais em 2009-10 - os bávaros chegaram à final com um agregado de 4-0.

Além dessa ocasião, equipas alemães e francesas só se tinham defrontado numa meia-final da Liga dos Campeões em 1974-75, quando o Bayern Munique defrontou o Saint-Étienne e seguiu para a final com um agregado de 2-0. Na época seguinte, os dois conjuntos mediriam forças na final, com novo triunfo dos germânicos.

Esta é a segunda ocasião desde que a Champions foi criada que as meias-finais vão disputar-se sem a presença de clubes ingleses, espanhóis e italianos. A última vez que tal aconteceu em 1990-91, quando Estrela Vermelha de Belgrado (Jugoslávia), Marselha (França), Spartak Moscovo (Rússia) e Bayern Munique (Alemanha) foram os semifinalistas.

E desde 1995-96, quando Ajax (Holanda), Panathinaikos (Grécia), Juventus (Itália) e Nantes (França) foram semifinalistas, que não haviam meias-finais sem clubes ingleses ou espanhóis.

Pela primeira vez na história, vão estar nas meias-finais da Liga dos Campeões duas equipas francesas.

Desde 2012-13, quando Borussia Dortmund e Bayern Munique (Alemanha) e Real Madrid e Barcelona (Espanha) foram semifinalistas, que não estavam só dois países representados nas meias-finais.

Meias-finais:

- Terça-feira, 18 agosto:

Leipzig - Paris Saint-Germain (Estádio da Luz)

- Quarta-feira, 19 agosto:

Lyon - Bayern Munique (Estádio José Alvalade)

Final:

- Domingo, 23 agosto (Estádio da Luz)

Mais Notícias

Outras Notícias GMG