Klopp: "Se houvesse uma eleição, Jesus seria eleito presidente do Brasil"

O treinador do Liverpool elogiou o trabalho de Jorge Jesus no Flamengo e admite que o português poderia trabalhar "em qualquer clube europeu", mas... "talvez o Rio de Janeiro seja uma bela cidade e ele queira ficar por lá".

Jürgen Klopp, treinador do Liverpool, admitiu esta sexta-feira que agora já conhece melhor o Flamengo, depois de visionar "algumas horas" de jogos da equipa de Jorge Jesus, razão pela qual fez questão de elogiar o trabalho do técnico português.

"Jorge Jesus fez um trabalho incrível, mudou a sorte e muitas outras coisas no Flamengo. Se houvesse uma eleição, provavelmente ele seria eleito presidente do Brasil, apesar de ser português", disse o treinador alemão, em jeito de brincadeira, acrescentando que a equipa carioca "tem um estilo muito organizado, em que todos sabem o que precisam de fazer" em campo. Nesse sentido, deixou uma certeza: "Sei o que esperar do Flamengo."

"Trata-se de uma equipa rápida no ataque, com criatividade no meio-campo. Fazem cruzamentos e rematam de longa distância. O Flamengo tem tudo o que as boas equipas têm para terem sucesso. Nunca joguei com uma equipa brasileira, mas eles também nunca jogaram com uma equipa como o Liverpool", assumiu.

Ainda sobre o trabalho de Jorge Jesus, Jürgen Klopp destacou que se trata de um técnico que "teve sucesso no Benfica e no Sporting". "É um personagem e tem fama de ser muito organizado. Tenho seguido o seu trabalho há muito tempo, mas será a primeira vez que nos vamos defrontar. Estou ansioso por isso", disse, admitindo que Jesus "poderá trabalhar em qualquer clube europeu, se quiser, mas talvez o Rio de Janeiro seja uma bela cidade e ele queira ficar por lá".

Klopp considera Gabriel Barbosa e Bruno Henrique como "grandes jogadores" e, nesse sentido, assumiu que as duas equipas "têm as mesmas possibilidades de ganhar" a final. "Nós não estamos aqui como campeões europeus e com a intenção de mostrarmos que somos superiores, mas queremos ganhar", sublinhou.

Questionado sobre a eventual menor importância do Mundial de Clubes para o Liverpool quando comparado com as provas que disputa na Europa, o treinador alemão deixou a garantia que a sua equipa está no Qatar "para ganhar" a competição "mesmo sabendo que será muito difícil porque o adversário é muito bom". "Quero mudar essa ideia de que ganhar na Europa é que interessa. Os adeptos do Liverpool querem que nós ganhemos. Vocês viram como o Monterrey lutou connosco nas meias-finais e amanhã ainda vai ser mais complicado", disse, garantindo que esta final "é especialíssima" para os reds.

Klopp não desfez, no entanto, a dúvida sobre se o defesa-central Virgil na Dijk vai estar disponível para o jogo com o Flamengo, marcado para este sábado às 17.30 horas. "Ele treinou-se hoje e vamos ver como estará amanhã. Não há nada de novo em relação à lesão, estamos a aproveitar o tempo para recuperar e descansar", assumiu.

Mais Notícias