Jesus atingiu a glória que só de Artur Jorge, Mourinho e Manuel José tinham conseguido

Técnico português conquistou a Taça Libertadores (este sábado, frente ao River Plate), a competição sul americana idêntica à Liga dos Campeões.

Jorge Jesus tornou-se este sábado o primeiro treinador português a vencer a principal competição sul-americana de clubes, a Taça Libertadores (idêntica à Liga dos Campeões da Europa). Até hoje só três portugueses atingiram glória igual: Manuel José, em África, e Artur Jorge, José Mourinho na Europa.

O triunfo sobre os argentinos do River Plate (2-1), detentores do troféu, na final de Lima, no Peru, permitiu ao ex-treinador de Benfica e Sporting conquistar o primeiro troféu internacional, depois das finais perdidas da Liga Europa de 2012-13 e 2013-14, ao comando do Benfica.

Nascido na Amadora há 65 anos, em termos internacionais, Jesus contava apenas com uma Taça Intertoto, que arrebatou pelo Sporting de Braga. Agora, o treinador português deu ao Flamengo a Champions da América do Sul, a segunda do mengão, depois do sucesso de 1981 com Zico e o ex-benfiquista Mozer, entre outros.

O troféu deve valer-lhe ainda uma distinção do Presidente da República, que já o felicitou. Isto, tendo em conta que Artur Jorge, José Mourinho e Manuel José também o foram.

O primeiro português a chegar a um título internacional da dimensão de uma Champions foi Artur Jorge em 1987. Numa final épica, o FC Porto conquistou a então Taça dos Clube Campeões Europeus (hoje Liga dos Campeões). Os portistas venceram o Bayern de Munique, por 2-1, em Viena. Um jogo em que os dragões começaram a perder (golo de Kögl, aos 25'), mas deram a volta com golos de Rabah Madjer, aos 77 minutos, e do brasileiro Juary, a passe do argelino, aos 79'.

O título europeu pelo FC Porto valeu-lhe mais tarde uma das mais altas distinções do Estado. A 4 de fevereiro de 1989 foi feito Grande-Oficial da Ordem do Mérito.

Treinou diversos clubes, entre os quais o FC Porto, Benfica, Paris Saint-Germain, Tenerife, Vitesse, Al-Nasr, Al-Hilal, Académica e o CSKA Moscovo e seleções de Portugal, Suíça e Camarões. Foi campeão português por três vezes e logrou chegar ao título em França e na Arábia Saudita.

Foi a primeira de duas Champions da história do FC Porto. A outra foi em 2004 com José Mourinho ao leme. A 26 de maio de 2004 o agora Special one escreveu uma das mais douradas da vida do FC Porto e do futebol português ao vencer a Liga dos Campeões (formato moderno). Nessa noite, o Arena AufSchalke, em Gelsenkirchen, na Alemanha, os portistas não deram qualquer hipótese ao Mónaco, vencendo por 3-0. Carlos Alberto, Deco e Alenichev foram os autores dos golos.

Mas Mourinho não se ficou pela primeira. O agora técnico do Tottenham voltar a levantar a orelhuda (como é conhecida a taça da Liga dos Campeões) na época 2009-10 ao serviço do Inter de Milão. Jogada no Estádio Santiago Bernabéu, em Madrid, na Espanha, em 22 de maio de 2010, a final opôs o Inter ao Bayern Munique, por 2- 0, com dois golos de Diego Milito, aos 35' e aos 70 minutos. Depois dessa conquista e da magnífica época, o técnico de Setúbal foi eleito o melhor treinador do mundo pela FIFA, em janeiro de 2011.

Além das duas Champions, Mourinho, que treinou o FC Porto, o Inter, o Real Madrid, o Chelsea e o Manchester United, já foi campeão em Inglaterra, Espanha e Itália, além de ter conquistado uma Liga Europa e uma Taça UEFA e mais de uma dezena de taças.

Em 2006 o treinador recebeu a insígnia de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

O mais titulado é Manuel José, que aos 73 anos está reformado e é comentador televisivo. Enquanto treinador levou os egípcios do Al-Ahly a quatro vitórias na Champions africana, em 2001, 2005, 2006 e 2008. Os sul-africanos do Mamelodi Sundowns (1-1 fora e 3-0 em casa), em 2001, os tunisinos do Étoile du Sahel (0-0 fora e 3-0 em casa), em 2005, e do CS Sfaxien (1-1 em casa e 1-0 fora), em 2006, e os camaroneses do Coton Sport (2-0 em casa e 2-2 fora), em 2008, foram as equipas derrotadas pelo Al-Ahly.

"Disputar a final de uma competição continental é a expressão máxima para um treinador, em termos de clubes", recordou Manuel José, salvaguardando as devidas diferenças proporcionais entre as Champions de África, Ásia e América do Sul, por exemplo, em relação à principal prova europeia. A Liga dos Campeões não se pode comparar com nenhuma outra porque é na Europa que está tudo concentrado, "é onde está o poder do dinheiro" e "os grandes investidores", e aí reside a principal diferença.

Manuel José treinou o Sp. Espinho, o Vit. Guimarães, o Portimonense, o Sporting, o Sp. Braga, o Boavista, o Marítimo, o Benfica, o União de Leiria, o Belenenses e ainda os egípcios Al-Ahly e Al-Ittihad e a seleção de Angola. Foi no Boavista que atingiu maior sucesso em Portugal, com uma Taça de Portugal e uma Supertaça Cândido de Oliveira (1991-92).

Depois de vencer quatro Champions asiáticas foi condecorado pelo Presidente da República. A 6 de Junho de 2008 foi feito Comendador da Ordem do Mérito.

Mais Notícias