Erros fatais no adeus doloroso do leão à Europa

Sporting foi incapaz de segurar a vantagem garantida em Lisboa e foi derrotado (4-1) e eliminado da Liga Europa em Istambul pelo Basaksehir no prolongamento. Leão pagou caro os erros cometidos

As estatísticas diziam que, nas provas europeias, em 85% dos casos que uma equipa portuguesa venceu uma primeira mão por 3-1, passava a eliminatória. Nesta quinta-feira, o Sporting entrou no lote restrito dos 15%, perdendo por 4-1 em Istambul, frente ao Basaksehir, após prolongamento, e ficando pelo caminho na Liga Europa, a única competição que os leões podiam ainda sonhar conquistar. Uma derrota por culpa própria, num jogo onde a equipa de Silas cometeu demasiados erros.

Depois de uma boa exibição frente ao Basaksehir no jogo da primeira mão, e de uma atuação bastante aceitável diante do Boavista para o campeonato no fim de semana, o leão voltou a ser uma equipa vulgar numa primeira parte e cometeu demasiados erros defensivos ao longo de todo o jogo. E nesta quinta-feira, além do adeus à Europa, somou a 14.ª derrota da época, ficando apenas um desaire de igualar os piores registos da sua história - 15 derrotas nas épocas 2000/01 e 2012/13.

Uma entrada meio a medo, a permitir ao adversário o domínio quase total do jogo, um erro defensivo no primeiro golo dos turcos, outro do guarda-redes Maximiano no segundo do Baseksehir, uma nova desatenção a permitir o 3-1 no final do tempo regulamentar, e uma grande penalidade proibida cometida por Vietto nos minutos finais do prolongamento foram fatais para um leão que foi incapaz de tirar partido da vantagem de 3-1 garantida há uma semana em Lisboa.

Silas fez quatro alterações na equipa que no fim de semana recebeu e venceu o Boavista, com Ristovski, Coates, Acuña e Bolasie a entrarem para os lugares de Rosier, Neto, Borja e Plata, dispondo a equipa num 4X2X3X1, com Sporar como homem mais adiantado. Do lado do Basaksehir, o treinador Boruk apostou no onze esperado, com uma linha de três avançados (Elia, Demba Ba e Visca).

O resultado da primeira mão (derrota por 3-1 em Alvalade) obrigava a equipa turca a procurar um golo cedo. E o Basaksehir entrou no jogo a pressionar, perante um Sporting fechado e preocupado em tapar os caminhos da baliza de Maximiano. Aos 7', os turcos criaram a primeira grande ocasião de perigo, com Aleksi a cabecear por cima da trave em resposta a um centro de Clichy.

A partir dos 15', o Sporting pareceu soltar-se um pouco do domínio dos turcos. E Acuña num remate de longe deixou um aviso, valendo a atenção do guarda-redes Gunok. Mas foi mera impressão, pois o Basaksehir esteve sempre por cima até ao final da primeira parte.

Aos 30', Acuña ia facilitando num lance com Demba Ba. E quase logo a seguir a equipa turca colocou-se em vantagem. Na cobrança de um canto, Maximiano fez uma defesa apertada a um primeiro remate de Demba Ba, mas depois foi incapaz de impedir o cabeceamento de Skrtel. Estava feito o 1-0 no Estádio Fatih Terim. Um golo que os turcos mereceram, perante um leão que mostrou sempre grandes dificuldades nas transições para o ataque e enormes dificuldades a defender.

A primeira parte não podia ter terminado da pior forma para a equipa de Silas. No último lance antes do intervalo, Aleksic cobrou um livre do lado direito, rematou à baliza e apanhou Maximiano adiantado (por isso com culpas no golo), apontando o segundo dos turcos. A estatística ao intervalo demonstrava bem o domínio do Basaksehir - 61% de posse de bola contra 39% do Sporting e 11-7 em remates efectuados.

O segundo tempo começou logo com uma boa ocasião para o Sporting, com um remate de Vietto para uma boa defesa de Gunok. Mas aos 56', os turcos estiveram perto do terceiro golo, com dois remates de Demba Ba defendidos por instinto por Maximiano.

Silas mexeu na equipa aos 60' e lançou Gonzalo Plata no jogo (saiu Bolasie), o jovem equatoriano que tão boas indicações tinha deixado no jogo com o Boavista, na tentativa de dar mais velocidade e conseguir criar desequilíbrios no ataque. E o Sporting melhorou.

Esta melhoria foi traduzida num golo aos 68 minutos, com Acuña a arrancar um bom cruzamento da esquerda e Vietto a aparecer entre os centrais, à ponta de lança, a cabecear para o fundo das redes. Um golo que colocava de novo os leões na frente da eliminatória.

A segunda parte parecia mostrar um leão com uma nova face. É certo que a equipa não criou muitas ocasiões flagrantes de golo, mas também não permitiu que os turcos jogassem à vontade e com o domínio que se apresentaram na primeira parte. Parecia, mas a verdade é que acabou por não se verificar.

Quase em cima dos 90', uma bela jogada entre Plata e Doumbia quase resultou no segundo golo do Sporting, com o marfinense a atirar à barra de calcanhar. E depois foram novamente os turcos a espalhar pânico na área leonina, valendo um corte na hora H de Battaglia.

O jogo caminhava para o fim, parecia que a eliminatória estava assegurada, mas uma desatenção defensiva permitiu aos turcos fazer o terceiro golo, por Visca (num remate cruzado depois de tirar Ristovski do caminho), e levar o jogo para prolongamento, num momento em que era exigida mais concentração aos jogadores leoninos.

No prolongamento, Vietto deixou um primeiro aviso num cabeceamento, e Plata também tentou a sorte num remate em jeito que saiu ao lado. Antes da primeira metade, um cruzamento que bateu num jogador leonino ia traindo Maximiano.

Tal como no final do tempo regulamentar, quando era preciso concentração máxima, um novo erro quase no final do prologamento acabou por ser fatal, com Vietto a cometer uma grande penalidade sobre Junior Caiçara. Na cobrança do castigo, Visca fez o 4-1 final e arrumou de vez a eliminatória a favor dos turcos.

VEJA OS GOLOS

FiCHA DO JOGO

Estádio Fatih Terim, em Istambul.

Ao intervalo: 2-0.

Marcadores: 1-0, Skrtel, 31 minutos; 2-0, Aleksic, 45; 2-1, Luciano Vietto, 68; 3-1, Visca, 90+1 e 4-1, Visca, 119 (gp).

Basaksehir: Mert Gunok, Júnior Caiçara, Skrtel, Epureanu, Clichy, Aleksic, Okechukwu (Ozcan, 77), Kahveci (Robinho, 89), Visca (Ponck, 120), Élia (Gulbrandsen, 85) e Demba Ba.

Treinador: Okan Buruk.

Sporting: Maximiliano, Ristovski, Coates, Ilori, Acuña, Battaglia, Wendel (Eduardo, 90+1), Bolasie (Gonzalo Plata, 60), Vietto, Jovane (Doumbia, 73) e Sporar (Pedro Mendes, 108).

Treinador: Jorge Silas.

Árbitro: Antonio Mateu Lahoz (Espanha).

Ação disciplinar: cartão amarelo para Wendel (34), Aleksic (37), Vietto (42), Clichy (71), Epureanu (74), Kahveci (81). Cartão amarelo para o treinador Okan Buruk (27).

Mais Notícias

Outras Notícias GMG