Inglaterra. Arsenal tomba após 23 jogos

Equipa de Unai Emery derrotada fora pelo Southampton (Premier League), após 23 jogos sem perder na resposta aos desaires nos dois primeiros jogos da época. Na UEFA, só o Sporting tirou pontos aos gunners

A 12 e 18 de agosto, Unai Emery começava com dois pés esquerdos a pesada tarefa de substituir Arsène Wenger no Arsenal: 0-2 com o Manchester City no Emirates, em Londres, 2-3 na visita a Stamford Bridge, do Chelsea. Era logo um mau prenúncio: frente às equipas de topo, os gunners versão século XXI falhavam redondamente.

Os 22 anos de Wenger (1996-2018) podem não ter dado muitos títulos ao Arsenal (três ligas, sete taças e sete supertaças), mas deram estatuto (com discussão de títulos, incluindo uma final da Champions perdida com o Barcelona) e uma fórmula de fazer dinheiro. Muito dinheiro: jovens jogadores francófonos que se tornaram símbolos do clube ou possibilitaram negócios para enriquecer os donos do clube, que nos últimos 11 anos foram Stan Kroenke e Alisher Usmanov (desde este ano, Kroenke livrou-se do rival).

Posto isto, saída de um treinador icónico e jogadas de poder na administração, a época não se adivinhava fácil. Mas Unai Emery conseguiu dar alguma potência ao Arsenal. Após as duas derrotas referidas (e nada escandalosas, frente, talvez, às duas melhores equipas inglesas - falta incluir o Liverpool, mas o tempo o dirá), o treinador espanhol virou a casa.

Conseguiu qualificar-se para os 16-avos-de-final da Liga Europa cedendo apenas um empate, em casa, frente ao Sporting (e ganhando cinco vezes, tal como o FC Porto na Champions, aliás), e foi cimentando uma série de jogos a ganhar. Nada menos do que 11, sete na Premier League. Depois, continuou sem perder até aos 23 jogos seguidos (18 vitórias e cinco empates). O problema é que na segunda metade da gloriosa série, em 12 jogos empatou quatro vezes no campeonato, ficando muito atrás do Liverpool e Man. City.

Com a derrota deste domingo, está a dez pontos do para já líder, os citizens, mas pode ficar a 11 pontos do 1.º lugar se o Liverpool vergar o Manchester United.

No outro extremo, o Southampton saiu dos lugares de despromoção (igualdade pontual com o Burnley) e travou uma hemorregia de 14 jogos sem ganhar. Esta é a primeira vitória do técnico austríaco Ralph Hasenhüttl. E foi desenhada em dois bis e um golo precioso de Charlie Austin a dar os três pontos aos Saints. Antes, Ings (20' e 44') e Mkhitaryan (28' e 53') concorriam por um lugar de destaque. Aos 86', Austin acabou com a discussão.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG