Hamilton soma quarta vitória de 2020 e bate um recorde de Schumacher

O britânico Lewis Hamilton (Mercedes) somou a quarta vitória neste Mundial de Fórmula 1 ao vencer o Grande Prémio de Espanha, sexta prova do campeonato, e ultrapassou o recorde de pódios que pertencia ao alemão Michael Schumacher

Lewis Hamilton conquistou a sua 88.ª vitória na Fórmula 1 e, com ela, um recorde absoluto de 156 pódios, após o triunfo deste domingo no Grande Prémio da Espanha.

Foi a quinta vitória na corrida espanhola para o líder do campeonato mundial e seis vezes campeão do mundo, a quarta em anos consecutivos, estendendo a sua série atual de classificações nos pontos para 39.

Hamilton (Mecedes) chegou à meta 24 segundos à frente do rival mais próximo, Max Verstappen, da Red Bull, que terminou 20 segundos à frente de Valtteri Bottas, no segundo Mercedes.

Hamilton ultrapassou assim o recorde de 155 pódios que partilhava com Michael Schumacher, alemão cujos outros principais recordes (de títulos e de vitórias em Grandes Prémios) estão este ano na mira do britânico.

Com a 88.ª vitória na carreira, Hamilton fica a três das 91 do alemão Michael Schumacher, o máximo que um piloto já conseguiu na história da Fórmula 1. E o recorde de sete títulos do antigo piloto germânico, cujo estado de saúde é atualmente uma incógnita depois de um acidente de esqui em dezembro de 2013, fica também mais perto (Hamilton tem seis).

O triunfo deste domingo no GP de Espanha permitiu a Hamilton aumentar a liderança na corrida pelo sétimo título de pilotos, para 37 pontos à frente de Verstappen.

Sergio Perez, de volta ao seu Racing Point depois de perder duas corridas com o coronavírus, foi quarto à frente do seu companheiro de equipe Lance Stroll e Carlos Sainz da McLaren.

Hamilton largou da 'pole' e saiu disparado mal se apagaram os semáforos em Barcelona. Enquanto isso, o seu companheiro de equipa, Valtteri Bottas, deixava as rodas do seu carro derrapar em demasia e via-se ultrapassado por Verstappen, primeiro, e pelo canadiano Lance Stroll (Racing Point), depois.

No entanto, conseguiria recuperar o terceiro lugar ainda nas primeiras voltas.

A partir daí, o interesse da corrida esteve nas lutas travadas a meio do pelotão, enquanto Hamilton optava por uma estratégia de duas paragens.

"Gerimos o desgaste dos pneus mas não quisemos arriscar um rebentamento e acabámos por parar duas vezes", explicou o britânico, no final.

Quem não viu a bandeirada de xadrez foi o monegasco Charles Leclerc (Ferrari), que fez um pião e deixou o motor do seu monolugar ir abaixo, acabando por regressar às boxes para confirmar a desistência.

O alemão Sebastian Vettel (Ferrari) foi, assim, o melhor representante do construtor italiano, na sétima posição, numa prova em que ficou patente o distanciamento cada vez maior entre o antigo campeão mundial e a escuderia do Cavallino Rampante, com algumas trocas de mensagens tensas via rádio entre o piloto e o muro da equipa.

A próxima ronda, a sétima, disputa-se no circuito belga de Spa-Francorchamps, em 30 de agosto.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG