Granada. A equipa sensação de Espanha que tem o mesmo investidor que o Tondela

Andaluzes estão no segundo lugar da liga espanhola, já venceram o Barcelona e neste sábado podem chegar à liderança se vencerem o Real Madrid. O guarda-redes Rui Silva e o central Domingos Duarte são os representantes portugueses da equipa.

O Granada entra em campo neste sábado com o sonho de conquistar a liderança isolada da Liga espanhola no imponente Estádio Santiago Bernabéu frente ao milionário Real Madrid. Para trás ficaram sete jornadas gloriosas apenas manchadas por uma derrota caseira com o Sevilha e dois empates nas visitas a Villarreal e Valladolid. Três resultados que acabaram por ser apagados da memória dos adeptos a 21 de setembro com a clara e surpreendente vitória (2-0) diante do todo-poderoso Barcelona no seu Novo Estádio de Los Cármenes, com capacidade para pouco mais de 22 mil pessoas.

Os Nazaríes, nome pelo qual é conhecido o clube em referência à última dinastia muçulmana que governou a Península Ibérica a partir de Granada, estão a viver o ponto mais alto da sua história, pois nunca conseguiram chegar à sétima jornada do principal escalão do futebol espanhol com tantos pontos conquistados, nem mesmo as equipas mais recordadas pelos adeptos, que em 1971/72 e 1973/74 obtiveram as melhores classificações de sempre, o sexto lugar. É um caso semelhante ao Famalicão, que lidera isolado a Liga portuguesa apenas com um empate concedido, afinal o Granada também regressou esta época a principal liga do país vizinho.

Investidor chinês que também controla o Tondela

O Granada é propriedade do milionário chinês Jiang Lizhang, que adquiriu o clube em 2017 por 37 milhões de euros. O emblema andaluz está integrado na empresa Desports Group, que detém ainda 5% das ações dos Minnesota Timberwolves (equipa da NBA), 60% do capital social dos italianos do Parma, 90% do Chongqing Lifan, da SuperLiga chinesa, e ainda o Tondela, clube do qual recentemente adquiriu 80% do capital da SAD. Mas não se pense que o emblema andaluz está a nadar em dinheiro e que tem feito das contratações milionárias o segredo do sucesso neste início de temporada. Nada disso.

O plantel está avaliado em modestos 33,5 milhões de euros, de acordo com o site transfermarkt, tendo a administração do Granada investido apenas 7,25 milhões de euros em reforços, dos quais três milhões serviram para garantir o defesa-central Domingos Duarte ao Sporting, que é um dos dois portugueses da equipa. O outro é o guarda-redes Rui Silva, que em janeiro de 2017 se transferiu do Nacional por um milhão de euros e é um dos jogadores que estiveram na promoção ao escalão principal, sendo agora uma das principais figuras da equipa, podendo inclusive estar a bater à porta da seleção nacional aos 25 anos.

Um dos segredos do Granada é, aliás, a manutenção de vários jogadores experientes dos tempos em que o clube estava na II Liga, casos de Germán Sánchez (32 anos), José Antonio Puertas (27), Ángel Montoro (31), Víctor Díaz (31), José Martínez (26), Álex Martínez (29) e Quini (30), que procuram mostrar que têm qualidade para se imporem ao mais alto nível. A estes juntaram-se o veterano avançado Roberto Soldado, o médio francês Gonalons (emprestado pela AS Roma) e os venezuelanos Yangel Herrera (emprestado pela AS Roma) e Darwin Machís - esteve último teve uma breve passagem pelo V. Guimarães em 2012/13.

O galego que foi estudar para Granada e chegou a treinador

O grande responsável por este início de época brilhante é o treinador Diego Martínez, que aos 38 anos é o mais jovem técnico da Liga espanhola. Trata-se de um galego que aos 19 anos deixou o Celta de Vigo B e foi estudar Ciências do Desporto na Universidade de Granada. Cedo se deu conta que não teria futuro como futebolista e nos últimos anos de curso começou a treinar em modestos clubes da Andaluzia, como as camadas jovens do Imperio, e das equipas principais do Arenas de Amarilla e do Motril, ambos na III Divisão.

Até que um dia recebeu um telefonema de Monchi, então diretor desportivo do Sevilha. "Gostava como jogavam as minhas equipas e da trajetória que tinha sendo um treinador tão jovem", revelou numa entrevista. Deu então o salto para o Sánchez Pizjuán, onde dirigiu as camadas jovens do Sevilha (foi campeão espanhol com os juvenis), até que em 2013/14 foi convidado para fazer parte da equipa técnica de Unai Emery, ao lado de quem conquistou a Liga Europa na final com o Benfica, no desempate por penáltis.

No ano seguinte tornou-se treinador principal pegando no Sevilha B, onde esteve três épocas, durante as quais chegou a ser falado para suceder ao argentino Jorge Sampaoli na equipa principal, em 2017. Acabou por não acontecer e passou depois pelo Osasuna, antes de começar a construir a sua carreira de herói no Granada, o clube da cidade que abraçou como sua.

Conseguiu a promoção ao principal escalão logo no primeiro ano de trabalho, contra todas as expectativas, e agora é o treinador da moda em Espanha. "O treinador deve adaptar-se ao mais importante do jogo: que é quem o pratica", diz o antigo lateral direito formado no Celta, que adota esta como uma das suas máximas, sendo considerado um técnico metódico, estudioso e habituado a lidar com a tecnologia e com as estatísticas.

Neste momento, o Granada soma 14 pontos em 21 possíveis e partilha o segundo lugar do campeonato espanhol com o Atlético de Madrid, a apenas um ponto do líder Real Madrid. Em Espanha, os Nazaríes são considerados uma equipa camaleónica, pela facilidade com que se adaptam às circunstâncias de cada jogo. Foi talvez por isso que conseguiram vencer o Barcelona de forma categórica e se preparam para, neste sábado, às 15.00 horas, colocar problemas ao Real Madrid de Zinedine Zidane, que apesar de liderar o campeonato já empatou esta época em casa com o Valladolid e sentiu muitos problemas em levar de vencido o Levante. Isto para já não falar do escandaloso empate que concedeu em casa com os belgas do Club Brugge, na Liga dos Campeões, na última terça-feira.

"Se ganharmos somos líderes, mas a classificação nesta altura não é assim tão importante. O nosso objetivo passa por somar o maior número de pontos possível. Esta equipa tem ganas incríveis, somos todos uma família e neste balneário há muita qualidade", disse o português Domingos Duarte, citado pela Marca, ele que tal como o guarda-redes Rui Silva é titularíssimo na equipa sensação da liga espanhola.

"É um sonho jogar no Bernabéu. Vamos desfrutar com responsabilidade e fazer o nosso trabalho. O Real em crise? Não entendo isso de dizerem que estão num mau momento. Quem é o líder do campeonato? Têm jogadores de grande qualidade. O Sergio Ramos pode decidir uma partida num lance de bola parada assim como o Hazard", referiu, acrescentando que será um prazer defrontar o central Sergio Ramos: "Durante anos foi a minha referência na posição de defesa central. Seria um sonho poder defrontá-lo e, já agora, vencê-lo."

Mais Notícias

Outras Notícias GMG